Publicidade
Publicidade - Super banner
Pan
enhanced by Google
 

Pelo telefone, medalhista brasileiro recebeu ajuda do pai

Pouco antes de desempenho perfeito na última rodada da fossa olímpica dublê, Luiz Fernando Graça recebeu incentivo

Vicente Seda, enviado iG a Guadalajara |

Pela maneira como conquistou a medalha de bronze na prova da fossa olímpica dublê dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara , nesta quinta-feira, o atirador Luiz Fernando da Graça já teria motivos para estar emocionado: afinal, ele entrou na etapa decisiva da competição em desvantagem e, para chegar ao pódio, precisou completar uma série absolutamente perfeita, em que acertou todos os 50 pratos: um feito que não acontece todo dia.

Leia também: Luiz Fernando Graça conquista o bronze na fossa olímpica dublê

“Ainda não estou acreditando”, disse Luiz Fernando logo após a disputa. “É a melhor marca da minha vida. Nunca tinha feito isso numa competição oficial, e muita gente passa a vida toda sem fazer”, comemorou ele, para então contar um pouco mais de outro motivo para estar tão comovido: a relação com seu pai.

O pai de Luiz Fernando Graça, Luiz Graça, também é atirador. Em 2007, conquistou a vaga no Pan do Rio de Janeiro e a cedeu ao filho, que na ocasião terminou em 4º lugar. Normalmente, Luiz é o técnico de seu filho, mas em Guadalajara não pôde exercer a função porque já havia competido contra Luiz Fernando na seletiva brasileira para o Pan. A ajuda, então, veio por telefone.

Confira como está o quadro de medalhas do Pan

“Antes da final, meu pai me ajudou pelo telefone”, contou Luiz Fernando, cujo bronze foi a quinta medalha brasileira no tiro esportivo no Pan de 2011. “Ele disse: ‘concentre-se, seja você mesmo e faça o que você sabe fazer.’” Pelos 50 pratos acertados, era exatamente o incentivo de que Luiz Fernando precisava.

Leia tudo sobre: pan 2011tiro esportivoluiz fernando graçabrasil

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG