Tamanho do texto

Piores colocadas no ranking da Fifa, Rússia e Arábia Saudita fazem a partida de estreia do Mundial às 12h, em Moscou; saiba tudo sobre o evento aqui

Estádio Luzhnik, em Moscou, é o palco da cerimônia de abertura da Copa do Mundo Rússia 2018, nesta quinta-feira
FIFA/ Divulgação
Estádio Luzhnik, em Moscou, é o palco da cerimônia de abertura da Copa do Mundo Rússia 2018, nesta quinta-feira

A espera acabou. Exatos 1.432 dias após o capitão da Alemanha, Philipp Lahm, erguer a taça da Copa do Mundo no Maracanã, a bola volta a rolar em um Mundial a partir das 12h desta quinta-feira (14), no horário de Brasília. A partida de abertura será disputada no estádio de Lujniki, em Moscou, entre os donos da casa, a Rússia, e a Arábia Saudita. 

As duas equipes que estarão em campo na abertura da Copa do Mundo não são exatamente garantia de espetáculo. Dentre as 32 seleções que estão no torneio, a Rússia é a pior colocada no ranking da Fifa, ocupando a 70ª posição na lista divulgada na semana passada . A segunda pior é exatamente a Arábia Saudita, que aparece na 67ª colocação no ranking.

Rússia e Arábia Saudita já estão escaladas para o jogo. Confira abaixo:


Essa avaliação negativa das equipes é justificada pelo retrospecto recente de russos e sauditas. A equipe da casa não vence uma partida oficial desde outubro, e de lá para cá saiu de campo sem a vitória em sete amistosos. Já a Arábia Saudita perdeu seus últimos três compromissos pré-Copa, contra a Itália, o Peru e a Alemanha.

Se a amostra recente dos resultados dessas duas seleções não empolga, o registro histórico também não é animador. A Rússia não vence uma partida válida pela Copa do Mundo desde 2002, enquanto os sauditas estão sem vitórias no torneio desde o Mundial de 1994, nos Estados Unidos.

No caso dos russos, a desesperança dos torcedores não se dá apenas pelo desempenho nos últimos jogos. A equipe treinada pelo técnico Stanislav Tcherchesov chega ao Mundial sem três jogadores considerados titulares por conta de lesões: os zagueiros Viktor Vasin e Georgi Dzhikiya, e o atacante Aleksandr Kokorin.

Todo esse cenário negativo, no entanto, não desanima as comissões das duas equipes. De acordo com o repórter Igor Borunov, a serviço da Fifa, os russos estão confiantes de que poderão fazer uma boa partida de estreia. "Os russos passaram uma semana de trabalhos silenciosos na cidade de Novogorsk, longe de toda a agitação da Copa do Mundo em Moscou, e parecem estar recarregados e prontos para corresponder", narrou Borunov.

Do lado saudita também há a esperança de um bom resultado, mas a expectativa é de um início cauteloso. "Eles vão ser cuidadosos no começo e, após os primeiros dez minutos, o técnico Juan Antonio Pizzi terá uma melhor avaliação dos pontos fortes e fracos da Rùssia para traçar sua estratégia", reportou à Fifa Abdullah Alghazal.

A Rússia tenta manter a escrita de que nunca uma anfitriã foi derrotada na abertura de uma Copa do Mundo. Em todas as nove partidas iniciais envolvendo os donos da casa disputadas até hoje, foram seis vitórias para os anfitriões e três empates.

Leia também: Russos lançam campanha 'bigodes da esperança' contra pessimismo com a seleção

Robbie Williams, Ronaldo e Aida Garifullina

Cantor Robbie Williams agitou o público na cerimônia de abertura da Copa na Rússia
FIFA/ Divulgação
Cantor Robbie Williams agitou o público na cerimônia de abertura da Copa na Rússia

Uma vez que o jogo em si não atrai grande atenção, a Fifa tratou de convocar o cantor Robbie Williams para garantir que algum espetáculo haverá no primeiro ato do Mundial. O artista britânico fez show no estádio de Lujniki ao lado da soprano russa Aida Garifullina momentos antes de o  árbitro argentino Nestor Pitana soprar o apito pela primeira vez no torneio. A cerimônia com o show da dupla teve início apenas meia hora antes do início da partida.

O ex-atacante brasileiro Ronaldo também participou da cerimônia de abertura da Copa do Mundo , sendo o encarregado de apresentar a taça do Mundial. "Ninguém sabe o que acontecerá nas quatro semanas de duração do torneio, mas todos têm a certeza de que será memorável", disse o bicampeão mundial ao site oficial da Fifa.

Leia também: De A a H, confira a análise de todos os grupos da Copa do Mundo na Rússia

    Leia tudo sobre: futebol