Luxemburgo alega agressão e diz que confusão no fim do jogo foi “premeditada”

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Técnico do Grêmio afirmou que foi agredido por jogador do Huachipato e perseguido pelo técnico da equipe chilena, Jorge Pellicer

Apesar de todo o drama vivido pelo time do Grêmio durante os 90 minutos da partida contra o Huachipato, a tônica da entrevista coletiva do técnico Vanderlei Luxemburgo após o confronto foi sobre a confusão ocorrida ao final. O treinador explicou a confusão e afirmou ter sido agredido por um jogador do time chileno, o qual ele não soube identificar.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

Veja fotos da confusão no Chile e dos outros jogos desta quinta pela Libertadores:

Jorge Pellicer (à esq.) discutiu com Luxemburgo e tenta partir para cima do técnico gremista. Foto: Luis Hidalgo/APJogadores do Grêmio se defenderam das agressões e ficaram acuados no túnel de acesso ao gramado. Foto: Luis Hidalgo/APO goleiro Marcelo Grohe discute com policiais no vestiário. Foto: Luis Hidalgo/APComissão técnica gremista tenta apartar a confusão no Chile. Foto: Luis Hidalgo/APBarcos tenta roubar a bola de Gonzalez. Foto: Luis Hidalgo/APZé Roberto celebra gol do Grêmio contra o Huachipato. Foto: Luis Hidalgo/APRhayner sofre falta durante a partida contra o Caracas. Foto: Felipe Dana/APRafael Sóbis comemora gol da vitória do Fluminense. Foto: Nelson Perez/Fluminense F.CEdinha prepara uma bicicleta na partida contra o Caracas. Foto: Felipe Dana/APGilson Kleina orienta o Palmeiras em partida disputada no Peru. Foto: Martin Mejia/APMarcelo Oliveira sobre falta em jogo contra o Sporting Cristal. Foto: Martin Mejia/AP


“Eu fui cumprimentar o árbitro, e o assistente técnico deles chegou e perguntou por que hoje eu não reclamei do árbitro como fiz em Porto Alegre. Eu disse que futebol era assim mesmo, mas ele veio para cima de mim e eu saí correndo porque não queria confusão. Aí vi que o treinador deles também estava chegando, corri para sair pelo túnel, mas fecharam a porta e eu escorreguei. Um jogador deles me agrediu e eu tomei pisão dos policiais, fui atropelado, mas foi totalmente desnecessário”, reclamou.

Leia mais: Com muito drama, Grêmio segura Huachipato e chega às oitavas

O diretor de futebol Rui Costa lamentou o ocorrido: “fomos muito bem recebidos pela direção do Huachipato, mas dois ou três profissionais tiveram essa atitude absurda e causaram essa confusão toda. É inaceitável”. Para Luxa, a confusão foi armada: “eu percebi que foi ação premeditada, com certeza. Não fiz nada que pudesse causar esse tumulto todo”, disse o técnico, negando que tivesse falado ao assistente técnico chileno que seu time estaria de férias por estar eliminado.Luxemburgo projeta um duelo difícil com o Santa Fé na próxima fase. Segundo o técnico, o principal motivo de drama no jogo desta quinta foi a lesão do zagueiro Werley num momento onde o Grêmio não poderia mais substituir ninguém. “Eu mudei os dois da frente, que estavam cansados. Queria puxar contragolpe, dar um gás novo no ataque, mas aí quando eu mudei machucou o Werley. Aí a coisa foi sofrida”, revelou.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas