Time mineiro teve pênalti marcado em jogada fora da área na vitória de 2 a 1. Paulistas cercaram o árbitro

Com muita reclamação contra a arbitragem, o Palmeiras foi derrotado por 2 a 1 pelo Cruzeiro na noite deste domingo, no estádio Independência, e voltou à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro . Ainda sem contar com vários titulares, o time do técnico Luiz Felipe Scolari sofreu dois gols de Borges e amargou sua segunda derrota consecutiva na competição.

VEJA A CLASSIFICAÇÃO ATUALIZADA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Com isso, o Palmeiras permanece com apenas dez pontos, mas cai para o 18º lugar na classificação, novamente na área de risco do torneio nacional. Já o time de Celso Roth subiu aos 23 pontos no campeonato, em quinto lugar, aproximando-se da zona de classificação à Copa Libertadores .

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O time visitante reclamou dos dois gols marcados pelo Cruzeiro . No primeiro, Borges converteu pênalti em uma jogada que aconteceu fora da área. Já no segundo gol, o clube visitante pediu impedimento de Wallyson, que deu o passe para o atacante fazer o gol. O Palmeiras descontou com gol de pênalti de Barcos .

Veja mais: Palmeirenses contestam arbitragem e diretoria deve entrar com protesto na CBF

O Palmeiras volta a campo na noite de quarta-feira, quando estreará na Copa Sul-americana, contra o Botafogo, na Arena Barueri. Pelo Brasileirão, o Verdão tem novo compromisso no sábado, contra o Internacional, no mesmo estádio. Já o Cruzeiro só jogará pelo Nacional, no domingo, contra a Ponte Preta, novamente no Independência.

O jogo: As duas equipes iniciaram o confronto exibindo méritos em suas respectivas defesas, mas deficiências na frente. Aos cinco minutos, Wallyson recebeu atrás da zaga pela esquerda e desperdiçou ao tentar encobrir Bruno, mandando para fora. Do outro lado, Daniel Carvalho teve duas chances em cobranças de falta, mas ambas foram defendidas sem problemas pelo goleiroFábio.

O Cruzeiro deixou sua estratégia evidente desde o início, dando ênfase aos avanços de Montillo. Já o Palmeiras sofreu com a falta de criatividade dos meias Daniel Carvalho e Patrik e, por isso, foi obrigado a apostar exclusivamente na velocidade de Mazinho, que não conseguiu levar a melhor contra a zaga cruzeirense na etapa inicial.

Leia ainda: Palmeiras quer dar espaço para jovem da base na vaga do negociado Cicinho

Patrik ainda arriscava alguns passes e errava, enquanto Daniel Carvalho pouco pegava na bola. Desta forma, o primeiro lance de perigo do jogo saiu apenas aos 24 minutos, quando Montillo encarou a marcação pela esquerda e chutou rasteiro, exigindo boa defesa de Bruno.

Com superioridade na posse de bola, apesar da pouca eficiência, o Cruzeiro criou outra chance pouco depois, em cobrança de falta. O lateral direito Ceará tirou da barreira para acertar o travessão da meta palmeirense. Na jogada seguinte, o Verdão tentou responder, em cobrança de falta de Daniel Carvalho de perto da marca de escanteio. O meia mandou direto para o gol e obrigou Fábio a espalmar.

Porém, aos 34 minutos, aconteceu o lance mais polêmico da etapa, quando o árbitro Fabrício Neves Corrêa marcou pênalti de João Vitor sobre Montillo. Os palmeirenses reclamaram bastante. Além de alegarem não ter existido infração, os visitantes apontaram que a jogada aconteceu fora da área. Sem se envolver na discussão, Borges bateu no canto esquerdo de Bruno, que acertou o lado, mas não conseguiu fazer a defesa.

No intervalo, Felipão tentou consertar o defeito na criação do Palmeiras, tirando Patrik para a entrada de Obina. Porém, o time visitante não teve tempo de testar a nova formação. Aos dez minutos, Tinga dominou no meio da área e rolou na direita para Wallyson, que cruzou para Borges fazer o segundo gol. Os palmeirenses pediram impedimento de Wallyson, mas o árbitro considera a jogada normal.

Logo depois de ter ampliado o placar, a Raposa teve a chance de fazer mais um. Wallyson recebeu completamente livre na área, mas Bruno fez grande defesa para salvar o clube paulista. Sem alternativa, Felipão fez nova mudança, com Maikon Leite na vaga de Daniel Carvalho.

A alteração surtiu efeito, pois o árbitro assinalou pênalti de Victorino sobre Maikon Leite, na primeira jogada do atacante. Desta vez, foi o Cruzeiro que reclamou, mas Barcos bateu bem para diminuir a diferença no placar. Na empolgação de avançar em busca do empate, o Palmeiras levou um susto. Tinga fez boa jogada individual para se livrar de dois marcadores e bateu cruzado, exigindo defesa de Bruno. Nos acréscimos, o árbitro ainda anulou gol de Artur, pois marcou impedimento.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 2 X 1 PALMEIRAS

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data: 29 de julho de 2012 (domingo)
Horário: 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Fabrício Neves Corrêa (RS)
Assistentes: Roberto Braatz (PR) e José Eduardo Calza (RS)
Cartões amarelos: Victorino, Willian Magrão (Cruzeiro). João Vitor, Daniel Carvalho, Barcos, Leandro Amaro (Palmeiras)
GOLS: CRUZEIRO: Borges, aos 36 minutos do primeiro tempo e aos 10 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Barcos, aos 23 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Thiago Carvalho, Victorino e Diego Renan; Leandro Guerreiro, Tinga, Charles e Montillo; Borges (Anselmo Ramon) e Wallyson (Willian Magrão)
Técnico: Celso Roth

PALMEIRAS: Bruno; Artur, Leandro Amaro, Henrique e Fernandinho; Márcio Araújo, João Vitor, Patrik (Obina) e Daniel Carvalho (Maikon Leite); Mazinho e Barcos (Betinho)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.