Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Emerson manda recado a Riquelme e diz que quem "vive da boca é cantor"

Atacante corintiano minimiza mística do Boca Juniors e ironiza atuação do camisa 10

iG São Paulo | - Atualizada às

AFP
Emerson discute com o volante argentino Erviti

Emerson não se esquiva na hora da decisão. Jogador mais caçado do Corinthians no jogo contra o Boca Juniors na Bombonera, o atacante catimbou, provocou e conseguiu elevar os ânimos dos antes tranquilos argentinos. Na saída do estádio após o empate por 1 a 1, o jogador ironizou a mística do Boca e provocou Riquelme, que minimizou o bom resultado conquistado pelo Corinthians.

Romarinho comemora gol no primeiro toque na bola: “Brilhou minha estrela”

"Seria muita inocência minha se eu deixasse que um atleta do Boca Juniors atrapalhasse um sonho de 33 milhões de torcedores e de um grupo de 35 atletas que buscam título", disse Emerson sobre o desentendimento que teve com Erviti, volante do Boca.

Leia também: Alex vê Corinthians perto do título e agradece Romarinho

"Ele cuspiu, bateu. É uma falta de educação sem tamanho com um colega de profissão. Foi desnecessário. Eu acho que deve haver respeito acima de tudo". completou.

E mais: Castán diz que não sentiu a pressão da Bombonera e exalta força do Pacaembu

Perguntado se o árbitro havia atrapalhado o bom andamento da partida, já que Riquelme havia reclamado da atuação do chileno Enrique Osses, Emerson respirou fundo antes de mandar uma resposta direta ao camisa 10 argentino, que pressionara o juiz durante todo o jogo e recebera um um cartão amarelo por isso.

"Quando estava 0 a 0, sofremos faltas e o árbitro não parou o jogo. Quando estava 1 a 0 para nós, ele parou a favor do Corinthians. Foi um idiota", disse Riquelme, prontamente rebatido pelo corintiano.

"O árbitro não influenciou em nada o resultado da partida. Quem vive da boca é cantor, eu vivo dos que faço com meu pés. Da boca é cantor. Eu jogo com os pés", ironizou. "Riquelme joga demais, tem todo nosso respeito, mas fala, fala, quer pressionar... Tem que deixar os caras fazerem o trabalho deles. Não tem que influenciar. Lá certamente não vai ter cobrança. Vamos jogar e deixar o juiz trabalhar".

Riquelme avaliou o empate como casual atribuindo o resultado à falta de sorte. “Tivemos chances mais claras, mas acabamos parando na trave e nas mãos do goleiro do Corinthians. Vamos precisar de tranquilidade para jogar no Brasil. Mas acredito que podemos ganhar. Estamos tranquilos e confiamos em nós”, completou o argentino.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG