Tamanho do texto

Por causa de lesão no joelho, o suíço ainda ficou sem participar das Olimpíadas Rio 2016

A primeira aparição de Federer será na Austrália, em janeiro de 2017
reprodução / Twitter
A primeira aparição de Federer será na Austrália, em janeiro de 2017

O último jogo profissional de Federer foi no dia 8 de julho, quando levou um tombo durante o set final das semis de Wimbledon, numa partida contra o canadense Milos Raonic. O acidente aconteceu cinco meses depois de uma cirurgia no joelho esquerdo, que ainda estava em recuperação.

Leia mais: Aberto da Austrália aumenta premiação em R$12,3 milhões

Sem concluir a temporada, Federer ficou inclusive de fora dos Jogos Olímpicos Rio 2016, algo que era uma de suas metas de final de carreira.

O suiço Roger Federer tem quatro filhos. Em 2009, sua mulher Mirka deu a luz às gêmeas Charlene e Myla e em 2014, tiveram mais dois filhos gêmeos, Lenny e Leo. O tenista costuma levar sua família às viagens de trabalho.

"As crianças já estavam questionando quando viajaríamos de novo", disse Federer ao "The New York Times". Segundo o tenista, seus filhos gostam de viajar e perguntaram quando voltariam à Austrália ou Nova York. "E eu respondendo que ainda demoraria algum tempo", completou.

No entanto, a expectativa é de que Federer volte à ativa no final do mês, para a Hopman Cup, um torneio por equipes em Perth, na Austrália. Com início em 2 de janeiro, o torneio não vale pontos no ranking da ATP, mas serve como base de treino para o Aberto da Austrália, o primeiro dos quatro Grand Slam.

Leia mais: Bicampeã de Wimbledon é esfaqueada durante assalto em sua casa

Retorno

De volta às quadras, o tenista iniciará a próxima temporada de 2017 como 16º colocado no ranking, sua posição mais baixa desde 2001. Mas o jogador disse que contará com o apoio de sua esposa Mirka. Aos 35 anos, Federer não considera a hipótese de parar. "Eu continuo com vontade de vencer, me sinto rejuvenecido."

Estes seis meses fora das quadras foi o período mais longo sem jogar, desde que se profissionalizou em 1998. "Eu tive um gostinho de aposentadoria", disse o tenista.

Leia mais: Murray ultrapassa Djokovic e vira o tenista número 1 do mundo pela primeira vez

Federer acredita que seu joelho e resto do corpo precisavam de uma pausa "e ao tirar seis meses de folga tive o tempo que o joelho e o corpo precisavam para a cura", disse. "Agora posso contemplar o passado e refletir que, se as coisas não forem bem, eu pelo menos fiz tudo o que podia. Não terei do que me arrepender". A Autrália será a primeira oportunidade real de avaliação das condições de jogo do veterano.

Além de Federer, o espanhol Rafael Nadal também encerrou a última temporada mais cedo. Por causa de uma lesão no punho, Nadal abandonou Roland Garros e retornará às competições em 2017, na Austrália com novo treinador, Carlos Moyá.