Tamanho do texto

Considerado o Oscar do esporte brasileiro, o prêmio valoriza e homenageia os atletas de destaque do país

Isaquias Queiroz e Rafaela Silva são os vencedores do Prêmio Brasil Olímpico
Reprodução
Isaquias Queiroz e Rafaela Silva são os vencedores do Prêmio Brasil Olímpico

A cerimônia do Prêmio Brasil Olímpico aconteceu na última quarta-feira (29), no Rio de Janeiro, onde premiou os atletas por suas campanhas nos Jogos de 2016. Organizada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a noite de gala do esporte brasileiro ainda contou com despedidas e até mesmo pedido de casamento.

LEIA TAMBÉM: Suborno e corrupção: "Rei Arthur" pode ter garantido Olimpíada de 2016 no Rio

Os grandes vencedores do Prêmio Brasil Olímpico foram Isaquias Queiroz e Rafaela Silva. O canoísta, que já tinha ganhado o prêmio em 2015, foi mais uma vez homenageado, desta vez por sua performance nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016. No evento, o baiano conquistou três medalhas, duas de prata e uma de bronze. "Estou tremendo", disse o atleta ao receber o prêmio.

Depois do discurso, Isaquias Queiroz avisou que iria quebrar o protocolo, desceu do palco e foi em direção à namorada, Laina Guimarães, grávida de quatro meses. Diante todos os presentes, o atleta pediu a mão da moça em casamento, que disse "sim".

Rafaela Silva, a homenageada da noite, não pode estar presente porque está na Geórgia para disputar o Grand Prix de Tbilisi. A judoca então fez um agradecimento em vídeo. Além do prêmio na votação de atletas, jornalistas, dirigentes e treinadores, a carioca também foi eleita pela escolha popular como a Atleta da Torcida.

"Gostaria que esse prêmio inspirasse mais meninas e meninos. Em uma Olimpíada eu era a favorita e saí sem medalha. Na outra, ninguém acredita em mim e venci. Acreditem no sonho de vocês", disse Rafaela.

LEIA TAMBÉM: Jogadora transgênera sonha em participar de Jogos Olímpicos em 2020

Despedida

Thiago Pereira, com suas cinco medalhas em Toronto (e o recorde geral na história)
Satiro Sodré/Divulgação CBDA
Thiago Pereira, com suas cinco medalhas em Toronto (e o recorde geral na história)

Na mesma noite, nadador e medalhista olímpico Thiago Pereira anunciou sua aposentadoria das piscinas. Depois de mais de 15 anos como atleta profissional, o local de Volta Redonda (RJ) é o atual vice-presidente da comissão de atletas da Federação Internacional de Natação (Fina) e integrante do comitê da Odepa, entidade que administra o esporte na América.

O maior vencedor de medalhas da natação brasileira, Thiago Pereira foi prata nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 e é detentor do recorde de pódios em Jogos Pan-Americanos, com 23 medalhas.

LEIA TAMBÉM: Busto de Cristiano Ronaldo em aeroporto vira piada na internet; veja memes

''A natação vai ser minha vida pra sempre. Meu objetivo a partir de agora será contribuir para o fomento da natação competitiva. Algumas coisas já estão acontecendo, como o Thiago Pereira Swim Camp e o Troféu Thiago Pereira. Venho também me preparando para dar palestras. Além disso, pretendo levar a mensagem de que nadar salva vidas. Muitas das pessoas não sabem, mas, o Brasil é o terceiro país com o maior número de mortes por afogamento, ficando atrás do Japão e da Rússia. Por isso, vou seguir trabalhando forte para ajudar meu país à diminuir esse índice'', disse o nadador durante o Prêmio Brasil Olímpico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.