Tamanho do texto

COI decidiu não excluir a Rússia do Rio 2016, mas atletas que já foram punidos por doping não poderão participar da Olimpíada

Atual campeã dos 100m peito, a nadadora Yuliya Efimova está fora dos Jogos do Rio
Divulgação
Atual campeã dos 100m peito, a nadadora Yuliya Efimova está fora dos Jogos do Rio

O Comitê Olímpico Internacional (COI) decidiu neste domingo (24) não impedir a participação da Rússia nos Jogos Olímpicos do Rio, apesar das evidências de que o governo local fraudou testes de laboratório antes e durante os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, em Sochi, para beneficiar seus atletas. Isso não significa porém, que todos os esportistas russos estão liberados para competir no Rio.

A decisão sobre a participação de cada atleta vai caber à federação internacional da modalidade (Fifa, Fina, Fisa, FEI, entre outras). Diz o comunicado: "A inscrição (de um atleta) será aceita pelo COI apenas se o atleta for capaz de oferecer evidências para total satisfação da sua federação internacional".

LEIA MAIS:  "Manter Rússia pode deslegitimar Olimpíada", diz ex-presidente da WADA

Ao listar algumas condições, o COI deixa claro que dá suporte a qualquer decisão que vier a ser tomada pelas federações internacionais faltando menos de duas semanas para o início dos Jogos.

A punição mais contundente anunciada neste domingo, entretanto, é a impossibilidade de a Rússia inscrever na Olimpíada qualquer atleta que já tiver sido punido por doping, mesmo que já tenha cumprido sua punição.

Entre outros, é esse o caso da nadadora Yuliya Efimova, atual campeã mundial dos 100m peito, que fica fora da Olimpíada porque em 2013, ela testou positivo para um esteroide hormonal. Ela chegou a ser suspensa provisoriamente por doping no começo do ano, ao testar positivo para Meldonium, mas depois a acusação contra ela foi retirada pela Federação Internacional de Natação (Fina).

*Com Estadão Conteúdo

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.