Tamanho do texto

Relatório apontou substâncias proibidas no sangue do golfista no momento em que foi detido pela polícia norte-americana do estado da Flórida

Tiger Woods é considerado um dos maiores golfistas de todos os tempos
Divulgação
Tiger Woods é considerado um dos maiores golfistas de todos os tempos

Em maio deste ano, um dos maiores nomes da história do golfe foi detido pela polícia da Flórida, nos Estados Unidos. A suspeita era de que Tiger Woods dirigia embriagado, mas o boletim de ocorrência afirmava que não era possível saber se o atleta estava alcoolizado ou sob influência de drogas.

LEIA TAMBÉM: Polícia libera vídeo de Tiger Woods na prisão; teste para álcool dá negativo

No entanto, um recente exame toxicológico declarou que na ocasião em que foi detido, Tiger Woods tinha ingerido cinco substâncias proibidas e não era álcool. Segundo informações da "ESPN" norte-americana, o golfista teve a presença de quatro medicamentos detectados e ainda traços de maconha em seu sangue.

Vicodin, Dilaudid, Xanax, Ambien e THC, encontrado na marijuana, estavam dentre as substâncias contidas no sangue de Tiger Woods. Os remédios seriam para dor, ansiedade e insônia. E de acordo com o golfista, teria utilizado por conta de um tratamento de dores nas costas, fato que o afastou do esporte desde fevereiro.

LEIA TAMBÉM: Técnico é flagrado agredindo sua filha após discussão familiar; veja no vídeo

Tiger Woods aparece algemado em vídeo liberado pela polícia
Reprodução
Tiger Woods aparece algemado em vídeo liberado pela polícia

"Recentemente, eu estive tentando por conta própria tratar meus problemas de dores nas costas e de insônia, mas eu percebo agora que foi um erro fazer isto sem assistência médica. Eu continuo trabalhando com meus médicos, e eles acreditam que venho tendo um progresso significativo. Eu fico grato pelo grande apoio e continuarei recebendo assistência de meus familiares e amigos”, disse ao jornal "USA Today".

LEIA TAMBÉM: Ex-campeão mundial de boxe confessa vínculo com narcotraficantes

Pena

No início deste mês, a Justiça dos Estados Unidos determinou que o atleta de 41 anos de idade deverá prestar serviços comunitários . Além das 50 horas de serviço, o golfista deverá ainda pagar uma multa de 250 mil dólares, ou seja, cerca de R$ 750 mil.

Em liberdado condicional por um ano, Tiger Woods ainda se comprometeu com o governo de que irá participar de palestras de direção defensiva e de reuniões com cidadãos norte-americanos que tenham alguma deficiência devido acidentes no trânsito .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.