Tamanho do texto

Bailey Davis teria desrespeitado o regulamento interno do New Orleans Saints e, por isso, acabou deixando a franquia

Cheerleader Bailey Davis foi demitida na NFL após postar foto sensual no Instagram
Instagram
Cheerleader Bailey Davis foi demitida na NFL após postar foto sensual no Instagram

A jovem Bailey Davis , cheerleader de 22 anos de idade, foi demitida do New Orleans Saints, franquia tradicional da NFL (liga norte-americana de futebol), por conta de algumas fotos que postou em sua conta pessoal do Instagram.

Leia também: Cheerleader é sucesso nos EUA, mas prática engatinha no Brasil

A imagem que causou a demissão mostra a cheerleader usando apenas lingerie. Segundo o regulamento interno do próprio Saints, as animadoras de torcida precisam seguir algumas regras de conduta e fotos sensuais em redes sociais fogem do que é permitido.

A rede de TV BBC teve acesso a uma carta que Bailey Davis recebeu que confirma a história. "Esta carta é a confirmação do término do seu emprego no New Orleans Louisiana Saints devido ao não cumprimento das regras e regulamentos do Saintsations", diz o documento.

Leia também: Jogadora é expulsa de time de vôlei por postar foto "muito sexy" no Instagram

Os times da NFL costumam impor algumas regras específicas aos seus funcionários, como a proibição do "uso de fotos nuas, seminuas ou de lingerie" nas redes sociais na questão das cheerleaders.

Cheerleader processa o time

I wanna break glass ceilings not fit glass slippers 📷: @bryceellphoto #dance #leveltheplayingfield

Uma publicação compartilhada por Bailey Davis (@jacalynbailey) em

Diante da polêmica, Davis já apresentou uma queixa de discriminação contra a franquila de New Orleans na Comissão para a Igualdade de Oportunidades no Emprego. "Elas devem ser tratadas como atletas, que é o que elas são. Isto é uma clara discriminação baseada no gênero", disse Sara Blackwell, advogada da moça.

Blackwell revelou que o próximo passo é enviar uma carta ao comissário da NFL, Roger Goodell, a solicitar uma audiência.

Na queixa apresentada pela magistrada, são identificadas algumas das regras impostas às animadoras de torcida, mas não aos jogadores. Elas não podem, por exemplo, namorar ou manter contato com nenhum atleta, técnico ou dirigente do time.

Socializar de forma íntima com os jogadores é passível de demissão por justa causa.

Water u doin 🌊 #pun #staysalty

Uma publicação compartilhada por Bailey Davis (@jacalynbailey) em

A advogada disse também que o Saints alegou que sua cliente quebrou a política que visa afastar as cheerleaders dos jogadores . Bailey Davis contou que chegou a ser chamada ao RH e foi informada que tinha violado as regras ao participar de uma festa juntamente com alguns jogadores do time, o que é proibido. Mas ela negou.

Leia também: Grupo de atletas transexuais quer participar de campeonato feminino de vôlei

"O New Orleans Saints é um empregador que promove a igualdade de oportunidades e nega que a cheerleader Bailey Davis tenha sido discriminada por ser mulher. O Saints defende  esses direitos", declarou Gregory Rouchell, advogado da equipe, em declaração publicada no jornal Hattiesburg.

    Leia tudo sobre: Instagram

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.