Tamanho do texto

Ex-pugilista comprou terreno na Califórnia para plantio de maconha. Além disso, investirá em estudos sobre os benefícios medicinais da planta

O pugilista norte-americano Mike Tyson se juntou a dois sócios nesta terça-feira (2) e começará a cultivar maconha em um rancho na Califórnia, nos Estados Unidos. Denominado como "Rancho Tyson", o local fica no meio do deserto do estado norte-americano e possui mais de 160 mil metros quadrados, o equivalente a 22 campos de futebol.

Leia também: Quatro anos após acidente, família de Schumacher gastou mais de R$ 110 milhões

Mike Tyson decidiu comprar rancho e investir em pesquisas sobre a maconha medicinal
Getty Images
Mike Tyson decidiu comprar rancho e investir em pesquisas sobre a maconha medicinal


No rancho, o ex-campeão mundial de boxe irá cultivar maconha e irá investir pesado em tecnologias para ajudar nos estudos dos benefícios que a erva traz para a medicina .

Além disso, será construído um centro de abastecimento e hidratação para o cultivo da erva, um local de extração, uma fábrica e um anfiteatro, onde serão realizadas palestras sobre os avanços dos estudos da cannabis.

Recentemente, a Califórnia legalizou o uso recreativo da maconha. O objetivo de Tyson é abastecer a demanda do estado.

Leia também: Ciclista compartilha fotos chocantes depois de sofrer acidente na Austrália


Carreira

A história de Mike Tyson no boxe começou a crescer em 1981, com 15 anos, quando se tornou campeão juvenil de boxe dos Estados Unidos. No ano seguinte, se sagrou o melhor do mundo na mesma categoria. Logo no primeiro ano como profissional, em 1985, ganhou os 15 combates em que participou, 11 deles por K.O.  no primeiro round.

Em 1986, com 20 anos, se tornou o pugilista mais jovem a conquistar o título mundial dos pesos pesados pelo Conselho Mundial de Boxe (WBC), em luta contra Trevor Berbick. No ano seguinte, conquistou mais dois títulos mundiais, um da Federação Internacional de Boxe e outro da Associação Mundial de Boxe.

Depois de ficar três anos preso por estuprar uma concorrente do Miss Black America, o pugilista voltou em 1995, com mais duas vitórias. No ano seguinte desafiou o campeão Evander Holyfield. Em novembro, foi derrotado, mas pediu uma revanche. 

A luta aconteceu em junho de 1997 e era considerada a maior do século. Entretanto, o final foi longe de ser o esperado. A 40 segundos do final do terceiro round, Tyson mordeu a orelha de Holyfield, e recebeu uma advertência e o combate foi interrompido. Na volta do confronto, Tyson voltou a morder a orelha do adversário e foi desclassificado. Esse fato é um dos momentos mais marcantes da história do esporte.

Como punição, foi banido por um ano das competições. No seu retorno aos ringues, ele nunca mais foi o mesmo. Se aposentou em 2005 com um cartel de 50 vitórias, 6 derrotas e 2 lutas sem resultado.

Leia também: Toni Kroos pode deixar o Real Madrid para facilitar a chegada de Neymar

No meio da luta, Tyson mordeu a orelha de Holyfield um dos episódios mais conhecidos e comentados do boxe mundial
Reprodução
No meio da luta, Tyson mordeu a orelha de Holyfield um dos episódios mais conhecidos e comentados do boxe mundial

Será que Mike Tyson se tornará referência no estudo dos benefícios da maconha medicinal ou será apenas conhecido pelo seu poder de nocaute e pelas mordidas em Holyfield?