Maradona
Divulgação
Maradona

O meio-campista Hugo Ayala, dirigido por Diego Armando Maradona no Gimnasia y Esgrima de La Plata, apontou  que o ídolo argentino ainda estaria vivo se não fosse a pandemia do novo coronavírus.

"Maradona foi morto pela pandemia. Ele foi preso, não podia ver ninguém, era uma pessoa de risco, não podia ir ao clube. Quando foi a apresentação dele e antes mesmo da pandemia, o Diego era outro: tinha operado o joelho, tinha emagrecido, queria dar passes com a gente. Mas aí teve que se isolar por causa da pandemia, se não fosse ela o Diego ainda estaria aqui", afirmou.

(Veja na galeria abaixo imagens do craque Diego Maradona)

Segundo um relatório médico independente divulgado no último mês, o astro do futebol argentino morreu "abandonado à própria sorte" por sua equipe de saúde. No documento de 70 páginas, os peritos médicos afirmam que Maradona passou por um "período prolongado de agonia" e que ele teria recebido um "tratamento inadequado, deficiente e imprudente".

Ao menos sete pessoas são acusadas de negligência, entre eles o neurocirurgião Leopoldo Luque e a psiquiatra Agustina Cosachov, além de um psicólogo e dois enfermeiros. 

O campeão do mundo tinha problemas de saúde graves e se recuperava de uma cirurgia cerebral quando faleceu em 25 de novembro de 2020.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários