Felipe Pires atua pelo Moreirense, de Portugal
Reprodução/Instagram
Felipe Pires atua pelo Moreirense, de Portugal

Atualmente no Moreirense, de Portugal, o atacante Felipe Pires vive um novo momento na carreira, em um continente que é um velho conhecido seu. Em entrevista exclusiva ao iG Esporte, o ex-Palmeiras deu detalhes sobre sua curta passagem pelo Verdão e a ótima relação com o então técnico na época, Felipão.


O atleta de 26 anos chegou ao time português em setembro do ano passado, negociado em definitivo pelo Hoffenheim, da Alemanha. Em pouco tempo de clube se tornou titular, e vem chamando a atenção pelas boas atuações no campeonato nacional. Felipe falou sobre a chance da equipe brigar por algo a mais na próxima temporada.

- É difícil falar como será a próxima temporada, ainda mais aqui em Portugal, onde é uma liga muito disputada com clubes do mesmo nível. Mas da minha parte e do elenco vamos dar o máximo para sempre estar brigando na parte de cima da tabela. As últimas três temporadas do Moreirense foram boas, e esperamos que na próxima não seja diferente – disse.

A rápida adaptação ao novo clube tem um fator crucial: a legião de brasileiros no time. Ao todo são 12. E, segundo Pires, isso ajudou demais em sua chegada.

- Ter vários brasileiros no time ajuda bastante, pela questão da adaptação. Então acaba facilitando. Muitos jogadores chegam em países que não tem brasileiros e aí acabam por ter uma adaptação mais difícil. Mas aqui facilitou muito.

Passagem pelo Palmeiras

Em 2018, Felipe foi emprestado pelo Hoffenheim ao Palmeiras. O atacante foi um pedido do técnico Felipão e sua comissão na época, mas chegou com uma certa desconfiança por parte da torcida. O jogador é grato pela oportunidade, mas acredita que a falta de sequência de jogos prejudicou seu futebol.

- Acho que foi o tempo, não tive tanta sequência, e se no futebol de hoje em dia o jogador não tiver sequência fica difícil, mas entendo. Na época e até hoje o Palmeiras tem um elenco recheado de grandes jogadores, então acaba sendo difícil de você ter uma continuidade. Se naquele momento você não agarra a oportunidade que te deram, virão outros e vão agarrar. Então foi por isso que não consegui desenvolver meu futebol que demonstrei aqui na Europa que me levou ao Palmeiras. Mas só tenho a agradecer ao clube por ter aberto as portas para mim, um time grande de uma história gigantesca. Sou honrado de ter vestido a camisa do Palmeiras.

Você viu?

Relação com Felipão

Apesar de ter disputado apenas 16 jogos e feito um gol em seis meses com a camisa do Palmeiras, Pires é muito grato a Felipão. Segundo o atacante, o técnico pentacampeão do mundo com a seleção brasileira é um cara 'sensacional' e o ajudou muito em sua passagem pelo clube.

- Minha convivência com o Felipão era muito boa. Um cara que desde o primeiro dia que eu cheguei até o último sempre me tratou bem, tratou de me explicar as coisas da melhor maneira possível, mesmo que eu não estive jogando. É um cara que eu respeito muito e vou torcer pelo resto da vida. Não ganhou o que ganhou em vão. E vou poder falar para o meu filho que já fui treinado pelo Scolari, um campeão do mundo e ídolo por onde passou.

Rogério Ceni e Fortaleza

Após a passagem pelo Palmeiras, o camisa 10 do Moreirense foi repassado para o Fortaleza. No Leão do Pici, Pires conviveu alguns meses com Rogério Ceni no comando da equipe, que foram o suficiente para conhecer o grande profissional. O atacante avaliou sua passagem pelo Tricolor de aço e o período com o atual comandante do Flamengo.

- Vejo minha passagem pelo Fortaleza como algo positivo, independente dos minutos em que atuei. Em tudo fica um aprendizado. Infelizmente tive uma lesão de pubalgia, que me atrapalhou um pouco, mas vejo que ao todo minha passagem foi positiva.  

- O Rogério é um cara muito inteligente, estudado, que respira futebol 24 horas por dia e sabe muito o que faz. Acho que ele vai ser um dos grandes treinadores do futebol brasileiro. Se o Flamengo der tempo pra ele, como está dando, ele vai se tornar um grande técnico.

Retorno ao Brasil

Desde os 17 anos no futebol europeu, com apenas o intervalo de um ano no Brasil em 2019, Felipe coleciona passagens por times da Áustria, Alemanha e Croácia. O atacante tem mais três anos de contrato com o Moreirense e pretende cumpri-los, mas não descartou uma futura volta ao futebol brasileiro.

- Nunca vou descartar uma volta para o Brasil, mas a minha vontade é de continuar a minha carreira aqui na Europa. É um lugar maravilhoso, que abriu as portas para mim desde os meus 17 anos. Penso em continuar aqui, mas dependendo do projeto é sempre de se refletir. O futebol brasileiro é de alto nível, um campeonato muito bom de se jogar, e estamos sempre abertos para propostas, então não podemos descartar nada. Mas no momento é continuar por aqui e dar o meu melhor.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários