Guardiola não deve liberar jogadores por conta de restrições da pandemia
Divulgação
Guardiola não deve liberar jogadores por conta de restrições da pandemia

O treinador Pep Guardiola não permitirá que jogadores do Manchester City viajem em missões internacionais no final deste mês, caso sejam obrigados a entrar em quarentena ao retornar. As eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 serão disputadas durante o intervalo internacional de março, mas os jogadores que retornarem de países da "lista vermelha" serão forçados a isolar-se por 10 dias.

Toda a América do Sul e vários países africanos estão incluídos na lista vermelha do governo. Na Europa, Portugal é o único país incluído. A Federação Portuguesa de Futebol mudou o seu jogo de qualificação contra o Azerbaijão para Turim, a fim de contornar as regras de quarentena.

O City pode perder os brasileiros Ederson e Gabriel Jesus , o argentino Sergio Aguero e o argelino Riyad Mahrez para a quarentena, se viajarem, enquanto Ruben Dias e Bernardo Silva devem ser convocados por Portugal.

A Fifa permitiu que os clubes recusassem a liberação de seus jogadores, caso fossem obrigados a isolar por cinco dias ou mais, e a Premier League concordou em permitir que os clubes tomem decisões individuais sobre a dispensa de jogadores. Guardiola planeja manter em casa todos os membros da equipe titular do City que serão afetados.

— Eles não irão voar. Isso é certeza. Se conseguirem voar, jogar pela seleção nacional e voltar direto para os treinos, eles voarão. Investimos muito tempo e dinheiro na parte importante da temporada e se seis, sete, ou oito jogadores não puderem jogar conosco, não faz sentido, honestamente. Não faz sentido — declarou o técnico.

Você viu?

— Seguimos os protocolos por oito, nove meses. Sem restaurantes. Aqui e em casa; em casa e aqui. Na bolha, com teste a cada dois dias — lembrou.

Ele aceitou que os jogadores queiram representar suas seleções e simpatizou com as federações, mas insistiu que qualquer viagem que envolvesse quarentena no retorno não valeria a pena.

— Queremos deixá-los ir para a seleção nacional. Sei o quanto é importante para eles. Eu nunca diria para não irem representar o seu país e se preparar para a Copa da Europa, Copa dos Estados Unidos, ou qualquer outra coisa. Mas não faz sentido fazer isso e não jogar por 10 dias — argumentou Guardiola.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários