Cristian Pavón
Reprodução/Instagram
Cristian Pavón

A denúncia de abuso sexual cometido pelo atacante Cristian Pavón , do Boca Juniors , em novembro de 2019, teve um importante movimento nesta sexta-feira, com o pedido de prisão preventiva solicitada pela defesa de Gisela Doyle. A enfermeira acusa o jogador de estupro . Segundo ela, Pavón a trancou num banheiro durante uma festa e teve relações sexuais não consentidas por Gisela.


Emprestado para o Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos, Pavón acompanhou o caso à distância. Como o Boca Juniors negocia a transferência definitiva para o clube da Califórnia, a defesa da acusadora agiu rapidamente para impedir a saída do atacante do país. Como a negociação não foi concluída, ele se reapresentou ao Boca Juniors este mês. Os advogados de Gisela Doyle não descartam um pedido de extradição à Interpol, caso Pavón deixe a Argentina.

No texto do pedido apresentado pelo advogado Luciano Bocco, ele afirma que "existem veementes indícios de perigo de fuga ou de obstrução da investigação. (...) Tendo em conta as facilidades que o denunciado tem para abandonar o país, solicito a que se ordene de maneira imediata uma medida cautelar de proibição para a saída do país", como divulgou o 'GE'.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários