A Argentina segue chocada com a morte do grande ídolo Diego Armando Maradona , em 25 de novembro do ano passado . O assunto, que segue vivo naquele país, conheceu mais um capítulo nas últimas horas, com a divulgação daquele que seria o último depoimento do ex-jogador antes de morrer.

Gravado após a operação que sofreu na cabeça, nas imagens é possível ver Maradona com um curativo e na companhia de sua ex-esposa Verónica Ojeda.

"Estou amassado, mas está tudo bem. Você sabe que não gosto de intimidades, e bem. Quando estou com gente boa, saio da minha toca. Beijos, Luque. Leopoldo Jacinto Luque ”, diz Maradona referindo-se ao seu médico, que atualmente está sendo investigado por sua morte.

Na última terça-feira, o antigo médico do ídolo argentino, Alfredo Cahe, criticou as atitudes da equipe que o acompanhava e afirmou que ele “poderia ter sido salvo”. “Não tenho dúvidas de que toda a ação médica foi ruim, muito ruim. Eles deram a impressão de que não eram médicos. Acredito que ele poderia ter sido salvo. Tudo poderia ter sido tratado, a cardiomegalia, o aumento do ritmo cardíaco, a parte psiquiátrica, tudo poderia ter sido tratado”, declarou ao canal argentino TN.

Você viu?

O antigo médico ainda revelou que entrou em contato com Leopoldo Luque. “Eu perguntei ao Luque três ou quatro coisas que eram importantes. Primeiro soube que o Diego tinha perdido sangue por matéria fecal, da zona anal, e perguntei-lhe se essa parte tinha sido estudada. Ele não me respondeu mal, mas também não me respondeu bem. Perguntei se ele havia operado Diego ou se havia outro cirurgião de primeira, e ele não disse nada, falando em monossílabos”, completou.

O argentino foi vítima de uma parada cardiorrespiratória.

Veja o vídeo:



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários