Emiliano Sala arrow-options
Divulgação
Emiliano Sala

As autoridades britânicas afirmaram nesta sexta-feira (13) que o acidente aéreo que matou o jogador argentino Emiliano Sala há pouco mais de um ano foi ocasionado por excesso de velocidade.

Leia mais: Fifa obriga Cardiff a pagar R$ 27 milhões ao Nantes por transferência de Sala

De acordo com o relatório final do Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos do Reino Unido (AAIB), o piloto David Ibbotson , que não teve seu corpo encontrado, estava em alta velocidade para tentar fugir do mau tempo e perdeu o controle da aeronave.

Ainda segundo os agentes da AAIB, Ibbotson não tinha licença para pilotar o avião que usou para levar Sala de Nantes, na França, para Cardiff, no País de Gales. Além disso, ele teria sido intoxicado por monóxido de carbono.

Vivendo auge da carreira no Nantes , o contrato de Sala com o Cardiff foi assinado em 21 de janeiro de 2019, mesmo dia que o avião que levava o atleta da França para o País de Gales caiu no Canal da Mancha.

O corpo do centroavante argentino foi encontrado no fundo do mar somente 18 dias depois do acidente. Sala , de 28 anos, era a contratação mais cara da história do Cardiff , clube de Gales que disputa a segunda divisão do Campeonato Inglês.

    Veja Também

      Mostrar mais