Tamanho do texto

Atacante brasileiro foi hostilizado e vaiado em seu retorno ao clube francês e, depois de ser decisivo, alfinetou o presidente, que impediu sua saída

Neymar em seu primeiro jogo pelo PSG após ter sua transferência ao Barcelona frustrada arrow-options
PSG - Paris Saint-Germain / Divulgação
Neymar em seu primeiro jogo pelo PSG após ter sua transferência ao Barcelona frustrada

O sábado de Neymar foi de emoções distintas.  O jogador fez seu primeiro jogo pelo PSG na temporada, foi hostilizado e bastante vaiado pela torcida na partida diante do Strasbourg, mas deu a volta por cima com um golaço de voleio nos acréscimos e terminou sendo aplaudido no Parc des Princes.

Leia também: Neymar é hostilizado em volta ao PSG, mas cala vaias com golaço aos 47 do 2º

Depois de garantir a vitória por 1 a 0 no Campeonato Francês, Neymar falou pela primeira vez sobre a negociação frustrada com o Barcelona. Na zona mista do estádio, o camisa 10 admitiu que queria sim deixar o clube de Paris e alfinetou o presidente Nasser Al-Khelaifi.

"Todos sabem que era um desejo sim de sair e eu queria isso. Deixo bem claro. Não vou entrar em detalhes do que aconteceu, de negociações. Todo mundo sabe o que ele (presidente) fez, é uma página virada", disse o jogador ao Esporte Interativo .

"Sou jogador do PSG e prometo dar tudo em campo. Esse é meu papel, vou ser feliz em campo. Não preciso que gritem meu nome ou que estejam ali por mim. Desejo que estejam ali pelo PSG. Espero que eles ajudem ao invés de ficarem vaiando", comentou Neymar.

O brasileiro continuou falando sobre as vaias que recebeu no jogo. "Não quero que se incomodem por mim. Se eles não gostam mais de mim, isso é triste. Mas que eles pensem primeiro nos outros jogadores e comecem a incentivar também", avisou.

Neymar corroborou que tinha o desejo de deixar o PSG e explicou que tratava-se de um motivo pessoal, nada contra o clube ou torcedores.

"Teve alguns motivos pessoais. Quero deixar bem claro que não foi nada contra a entidade Paris Saint-Germain e nem contra torcedores. Quando você não se sente bem em qualquer trabalho, você procura outro. Não pelas pessoas que tem ali, não pela empresa que você está servindo, mas sim por um motivo pessoal que seja", disse.

"Tive meu motivo, quis sair, deixei isso bem claro para todo mundo, fiz o possível. Mas infelizmente não deixaram. Não vou entrar em detalhes, é uma página virada. Será a última vez que falo disso porque minha cabeça agora está voltada totalmente ao PSG e espero corresponder nos jogos", finalizou Neymar .


    Leia tudo sobre: Futebol