Tamanho do texto

A advogada da mulher que acusa o craque português informou que o caso apenas foi retirado da esfera estadual para a federal dos Estados Unidos



Kathryn Mayorga e Cristiano Ronaldo
Der Spiegel / Reprodução
Kathryn Mayorga diz que foi estuprada por Cristiano Ronaldo

Ao contrário do que foi noticiado por grande parte da imprensa mundial, com base nas informações da 'Bloomberg', a acusação de estupro de Kathryn Mayorga contra Cristiano Ronaldo não foi retirada.

Leia também: Mulher que acusa Neymar chama o atleta de pipoqueiro: "Eu devia ter matado ele"

Segundo a advogada da suposta vítima, o caso apenas foi retirado do tribunal estadual de Nevada e levado para um tribunal federal. O motivo da mudança seria a dificuldade de intimar Cristiano Ronaldo , que mora na Itália, por meio da esfera estadual dos Estados Unidos.

"As queixas não foram retiradas. O caso estadual foi dispensado pela gente porque entramos com acusações idênticas em um tribunal federal , por conta das regras para intimar um estrangeiro. Nós basicamente só mudamos de lugar, as acusações se mantém", disse Larissa Drohobyczer para a ESPN americana.

Leia também: Neymar, Robinho, CR7, Cuca, Mike Tyson... confira atletas acusados de estupro

O CASO

Kathryn Mayorga denunciou o jogador, em 2018, por conta de um suposto estupro feito em 13 de junho de 2009, no hotel Palms, em Las Vegas. Segundo a americana, CR7 tentou se proteger das investidas do português, mas não evitou a relação sexual. O jogador negou todas as acusações.

INVESTIGAÇÕES

A polícia americana investiga o caso, que chegou a ter o envolvimento das autoridades italianas. O caso foi reaberto no ano passado por conta de um documento que Cristiano Ronaldo teria feito para comprar o silêncio da americana. Ao contrário dos dois anos anteriores, a Juventus preferiu não realizar a sua pré-temporada nos Estados Unidos.