Tamanho do texto

Bendrix Parra, do Independiente do Paraguai, foi confiante para a bola mas bateu tão mal que o goleiro do La Equidad conseguiu defender deitado

jogador se prepara para bater pênalti
Reprodução
Bendrix Parra antes de bater pênalti bizarro

Uma disputa de pênaltis pela primeira fase da Sul-Americana teve aquela que, talvez, seja a mais bizarra das cavadinhas da história do futebol. O protagonista da cena constrangedora foi o meia-atacante venezuelano Bendrix Parra , do Independiente de Campo Grande, do Paraguai.

O jogador em questão foi o responsável pela terceira cobrança de pênalti na série contra o La Equidad , da Colômbia. Parra, muito confiante, arriscou a cavadinha e foi tão mal, tão mal que o goleiro Novoa defendeu com o peito, mesmo estando já esparramado no gramado.

Leia também: Jogador dá "finta" em pênalti e causa confusão na segunda divisão do Gaúcho

O goleiro Morel, do Independiente , chegou a defender duas cobranças do La Equidad . Só que a precisão dos batedores do time paraguaio estava horrível. O desfecho da disputa de pênalti foi uma bola isolada por Benítez, muito por cima do gol.

Esses erros nos pênaltis saíram caros para o Independiente-PAR, já que a premiação pela participação na segunda fase da Copa Sul-Americana renderia US$ 375 mil (R$ 1,4 milhão) ao clube. Quem vai ganhar esse dinheiro é o La Equidad. 

    Leia tudo sobre: Futebol