Tamanho do texto

Simpatizante da política da Venezuela, Maradona também criticou postura dos Estados Unidos sobre a crise no país de Nicolás Maduro

undefined
Divulgação
Maradona pode ser punido por dedicar vitória do Sinaloa ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

Nesta quarta-feira (03), a Federação Mexicana de Futebol anunciou que Diego Maradona pode ser punido por dedicar vitória do Dorados de Sinaloa ao presidente venezuelano Nicolás Maduro .

De acordo com um comunicado, o treinador argentino será investigado por conta da violação dos “artigos 06,07,09, 10 e 11” do Código de Ética da Federação Mexicana que determina punição para qualquer “ ato discriminatório por razões de gênero, raça, origem étnica, nacionalidade e opinião política”.

Relembrando o caso: No domingo (31), após a vitória do Sinaloa por 3 a 2 contra o Tampico Madero, na 13ª rodada do torneio Clausura, Maradona dedicou a vitória do clube ao povo venezuelano e seu presidente, além de 'cornetar' os EUA na crise venezuelana.

“Este triunfo eu quero dedicar a Nicolás Maduro e a toda Venezuela que está sofrendo. Os xerifes do mundo, que são estes ianques, que porque tem a maior bomba do mundo acreditam que podem nos passar a perna, não, nós, não. Esse fantoche que tem como presidente não nos engana”, completou o argentino.

O tipo de punição para o treinador não foi divulgado. O comunicado da Federação apenas informa que a “Comissão Disciplinar analisará e determinará o que á apropriado”.

Leia também:  Duelo entre São Paulo x Botafogo abre o Brasileirão de 2019; veja a rodada

Treinador do Dorados de Sinaloa desde setembro de 2018, Maradona está com o time na disputa do torneio clausura do México, na Segunda Divisão e busca a classificação para a Primeira. A equipe ocupa a quarta posição, com 18 pontos, oito a menos que o líder Atlético San Luis.

    Leia tudo sobre: Futebol