Tamanho do texto

Treinador do Dorados de Sinaloa, do México, Maradona disse que os Estados Unidos se acham os 'xerifes do mundo' e disse que Trump é um fantoche

undefined
Divulgação
Maradona, técnico do Dorados de Sinaloa, do México, dedicou vitória da equipe ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro

Diego Maradona era polêmico durante sua trajetória como jogador e continua polemizando como treinador. O argentino dedicou a vitória do Dorados de Sinaloa, seu time no México, ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Leia também:  Papa Francisco diz que é sacrilégio chamar Lionel Messi de Deus; saiba mais

“Estre triunfo eu quero dedicar a Nicolás Maduro e a toda Venezuela que está sofrendo”, disse Maradona em coletiva logo após a partida por 3 a 2 contra o Tampico Madero, pela 13ª rodada do torneio Clausura, segunda divisão do México.

Além da dedicatória, o treinador aproveitou para dar uma ‘cutucada’ nos Estados Unidos e em seu presidente, Donald Trump.

“Os xerifes do mundo, que são estes ianques, que porque tem a maior bomba do mundo acreditam que podem nos passar a perna, não, nós, não. Esse fantoche que tem como presidente não nos engana”, completou o argentino.

Relembrando o caso: A Venezuela passa por uma crise econômica e política grave desde o ano passado. O presidente Nicolás Maduro enfrenta uma disputa com Juan Guaidó, do partido de oposição, que se declarou presidente interino em janeiro e desde então alguns confrontos tem acontecido no país.

undefined
Reprodução
Maradona é amigo pessoal da família Castro, em Cuba, e defende as ideias do governo venezuelano

Não é de hoje que Maradona se envolve em questões políticas . O argentino se identifica com o projeto político de Maduro, que tem inspirações em Cuba e vem desde os tempos de Hugo Chávez.

Leia também: Torcedor do Racing tira crânio de avô do túmulo para comemorar título na rua

Inclusive o treinador é amigo pessoal dos irmãos Castro e embaixador informal da medicina cubana. Na Argentina, Maradona defende o kirchnerismo e, no ano passado, se posicionou contra a prisão do ex-presidente brasileiro Luis Inácio Lula da Silva.

    Leia tudo sobre: Futebol donald trump