Tamanho do texto

Júnior Moraes, do Shakhtar Donetsk, não teria cumprido as regras da Fifa para naturalização e pode acabar punido pela entidade; entenda a polêmica

Escalação irregular do atacante brasileiro pode custar pontos a Ucrânia nas Eliminatórias da Euro 2020
Reprodução/@shakhtar_brasil
Escalação irregular do atacante brasileiro pode custar pontos a Ucrânia nas Eliminatórias da Euro 2020

Uma grave denúncia pode movimentar, e muito, a atual edição das Eliminatórias da Euro . Tudo porque a Ucrânia pode perder os quatro pontos conquistados até o momento, por empate em 1 a 1 com Portugal e vitória por 2 a 1 sobre Luxemburgo, pela escalação irregular de um jogador: o brasileiro Júnior Moraes, atacante do Shakhtar Donetsk.

Informações divulgadas por veículos europeus, principalmente de Portugal, dão conta de que a escalação irregular de Moraes teria acontecido pelo não cumprimento da regra da Fifa para garantir a naturalização de um atleta.

Leia também: Ausência de Messi em amistoso custará quase R$ 2 milhões aos cofres da AFA

O que diz o regulamento

Hoje, para que um atleta possa defender um país diferente daquele em que nasceu não pode ter sido convocado por outra seleção principal, além de preencher um dos seguintes itens:

  • Ter pai ou mães nascido no país que se deseja defender
  • Ter avô ou avó nascido no país que se deseja defender
  • Ter vivido, no mínimo, 5 anos consecutivos no país que se deseja defender após completar 18 anos

Nascido no Brasil, filho e neto de brasileiros, Júnior Moraes só poderia se naturalizar ucraniano se cumprisse com a terceira definição da regra, e é exatamente aí que reside o problema: segundo a denúncia, o fato de ter atuado na China em 2017 faria com que ele não tivesse atingido os cinco anos consecutivos de moradia na Ucrânia exigidos pela Fifa.

Leia também: Paquetá marca, mas seleção brasileira sofre 1º gol pós-Copa e tropeça no Panamá

Contratado junto ao CSKA Sofia, da Bulgária, pelo FC Metalurh Donetsk em julho de 2012, o brasileiro passou ainda pelo Dinamo de Kiev antes de ser negociado com o Tianjin Quanjian em fevereiro de 2017. Com isso, deixou a Ucrânia após quatro anos e oito meses, sem completar o quinto ano no país.

O que pode acontecer agora

Caso a denúncia seja aceita pela Fifa, a Ucrânia pode acabar perdendo os pontos das duas partidas feitas até o momento pelas Eliminatórias da Euro , uma vez que Júnior foi usado como suplente no duelo contra Portugal e foi titular nesta segunda-feira contra Luxemburgo.

Assim, cairia da ponta do Grupo B para a lanterna, ao lado da Lituânia, que não somou pontos. Além disso, seus rivais herdariam os pontos das duas partidas. Adversário da primeira rodada, Portugal, que hoje soma dois pontos, passaria a ter quatro.

Já Luxemburgo seria o maior beneficiado caso a denúncia de escalação irregular se confirme, uma vez que trocaria a derrota por 2 a 1 por uma vitória por 3 a 0, assumindo a liderança isolada do grupo, com seis pontos.

Leia também: Neymar Jr. aparece duas vezes em lista das contratações mais caras do futebol

    Leia tudo sobre: Futebol