Tamanho do texto

Rodrigo Mora não conseguiu se recuperar 100% após uma operação no quadril em 2017 e as dores constantes fizeram ele encerrar a carreira

A carreira de um jogador de futebol normalmente termina após os 35 anos. Em raros casos um atleta decide pendurar as chuteiras antes disso, mas foi o que aconteceu com o atacante uruguaio e bicampeão da Libertadores com o River Plate, Rodrigo Mora.

Leia também: Neymar fica atrás de Mbappé e Kane na lista de jogadores mais valiosos do mundo

O atacante Rodrigo Mora com o troféu de campeão da Libertadores 2018 com o River Plate
Reprodução/Twitter/romorita11
O atacante Rodrigo Mora com o troféu de campeão da Libertadores 2018 com o River Plate

Por meio de suas redes sociais, o atacante de 31 anos anunciou que não jogará mais futebol por conta de constantes dores que sente no quadril, perado de junho de 2017. "Eu tenho que viver um dos dias mais tristes da minha vida", iniciou.

Nos destaques de seu WhatsApp e também em seu Instagram, Mora, bicampeão da Libertadores da América com o time argentino, disse que "sofrimento e dor são constantes" e que por isso ele não conseguia mais jogar. Ele agradeceu aos familiares, amigos, companheiros de clube, comissão técnica e fãs pelo apoio.

"Eu desisti do que tinha e hoje tenho que encarar a realidade. Eu não posso continuar jogando futebol. Eu tenho um nó no peito e uma sensação impossível de explicar. Eu gostaria de me aposentar de outra maneira", escreveu.

Leia também: Registros mostram que Rooney foi preso e multado dias antes do natal nos EUA

A operação no quadril de Rodrigo Mora aconteceu em junho de 2017, porém ele nunca ficou 100%. Ele ficou afastado mais de oito meses após a cirurgia e voltou a jogar em janeiro de 2018.

Foram 28 jogos e quatro gols marcados. A partir de outubro do ano passado as dores ficaram muito fortes e ele não entrou mais em campo. Sua última aparição foi pelo Campeonato Argentino, contra o Aldosivi.

No River Plate , onde atuou desde 2012, com breve períodos de empréstimo, Mora jogou 184 vezes e conquistou duas Copas Libertadores (2015 e 2018), uma Copa Sul-Americana (2014), duas Recopas (2015 e 2016), uma Copa da Argentina (2016) e uma Supercopa da Argentina (2018). O clube agradeceu o 'Pulga' em suas redes sociais.

Leia também: Arthur revela sensação após elogio de Messi: "Como tomar um choque na tomada"

Além do River, o atacante jogou pelo Juventud, Defensor Sporting, Cerro-URU, Benfica, Peñarol e Universidad de Chile. Como conquista individual, o uruguaio fez parte da seleção ideal da Copa Libertadores de 2015.

    Leia tudo sobre: futebol