Tamanho do texto

Declarações e roupas entregues em 2009 como provas em denúncia de estupro contra o jogador foram perdidas, informou a revista Der Spiegel

Responsável pela investigação por acusação de estupro , a polícia de Las Vegas perdeu as provas contra Cristiano Ronaldo que a ex-modelo Kathryn Mayorga entregou quando fez a denúncia, em 2009. A informação é da revista alemã Der Spiegel, que trouxe o caso à tona após quase dez anos.

Leia também: Técnico da Juventus também defende Cristiano Ronaldo contra acusação de estupro

A polícia perdeu provas contra Cristiano Ronaldo sobre acusação de estupro
Divulgação
A polícia perdeu provas contra Cristiano Ronaldo sobre acusação de estupro

A publicação diz que o advogado da norte-americana, Leslie Stovall, revelou que as autoridades não guardaram as declarações que a Mayorga fez na época, além do vestido e da roupa íntima que ela usava, entregue à polícia como provas contra Cristiano Ronaldo .

Neste fim de semana, a revista publicou um acordo realizado em 12 de janeiro de 2010 entre Cristiano Ronaldo e a ex-modelo. O documento serviria para a mulher ficar em silêncio sobre o que aconteceu em Las Vegas, sendo recompensada com um pagamento de 325 mil euros.

Leia também: Outra mulher acusa Cristiano Ronaldo de estupro, dessa vez em Londres

A revista faz questão de ressaltar que não existem dúvidas que o contrato é verdadeiro, já que contam com assinaturas dos envolvidos. O jogador português, que teria usado o pseudônimo 'Topher' no acordo, teria ainda fornecido provas de que não era portador de doença sexual.

"Estes são trechos de alguns documentos nos quais a equipe de investigação da Spiegel baseia suas histórias. Não há razão para duvidar da autenticidade dos documentos. Mesmo os advogados de Cristiano Ronaldo não fizeram isso até agora", afirmou em publicação do último sábado.

Em um dos documentos a revista conta que o jogador da Juventus reconheceu que a vítima disse "não" e "pare" várias vezes durante o ato sexual, que ocorreu na cama e não na banheira, como revelou a mulher violada.

Leia também: Cristiano Ronaldo pode perder R$ 5 bilhões em patrocínios com caso de estupro

No fim dos documentos aparecem os nomes dos envolvidos. Kathryn Mayorga assinou o acordo e Carlos Osório foi quem firmou em nome do português. Agora, porém, não se sabe o que será feito, já que as provas contra Cristiano Ronaldo foram perdidas.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.