Tamanho do texto

Juíz espanhol, Marcos García Polo, tem histórico de desdém quando apita partidas do feminino. Denúncia foi enviada para Delegação de Salamanca

Árbitro tem atitude machista em campo durante partida feminina na Espanha
Reprodução/ C.D. Femenino Ponferradina
Árbitro tem atitude machista em campo durante partida feminina na Espanha

A atitude machista de um árbitro causou revolta na Espanha. Durante uma partida de futebol feminino, entre os times de C.D. Femenino Ponferradina e Santa Marta de Salamanca, por uma liga regional, o juiz Marcos García Polo foi acusado de negligenciar a partida e não apitar corretamente.

Leia também:  Cearense supera depressão com corrida e sonha em disputar Paralimpíada

A denúncia pela atitude machista de Marcos foi feita pelo presidente do clube Ponferradina, Ángel Molinero, que publicou nas redes sociais imagens do árbitro parado em campo enquanto as jogadoras percorriam o campo. 

“Poderia ter gravado os 90 minutos porque ele não se mexeu durante o jogo todo. Ele ficou plantado no círculo central e apenas virava a cabeça de um lado para o outro, a observar o jogo à distância e sem se mexer”, lamentou o dirigente para o jornal El Periódico .

O caso aconteceu no último fim de semana, dia 30 de setembro. Assista abaixo as imagens gravadas pelo cartola.

Com a difusão das imagens, uma ex-jogadora do Salamanca, Nuria Delgado, revelou que não foi a única vez que o juiz teve essa atitude. “Ele era muito autoritário e tinha uma atitude de passividade e de arrogância. Nós não podíamos dizer nada, porque ele ameaçava-nos com expulsão”.

Leia também:  CBF divulga calendário do futebol brasileiro em 2019; Veja datas

Em outra partida, apitada por Marcos, Nuria perguntou ao juiz sobre o tempo (de jogo) e ele respondeu ‘ensolarado’. A ex-jogadora ainda comentou com tristeza que Marcos chegou a dizer durante uma partida que ‘aquilo seria uma orgia mais tarde’.

O presidente do Ponferradina comentou sobre o porquê gravou o jogo. “Aparentemente diz-se que ele não quer arbitrar para mulheres. O que eu lamento é que ninguém denunciou isso, eu acho que por medo, então é por isso que eu gravei. Não gosto de injustiças”. Segundo o dirigente, o próprio juiz já teria dito que apita jogos femininos ‘por obrigação’.

Leia também:  Técnico de Portugal defende Cristiano Ronaldo de acusação de estupro

A denúncia do clube Ponferradina pela atitude machista do árbitro foi dirigida até a Delegação de Futebol de Salamanca. Nenhum pronunciamento foi feito por parte da entidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.