Tamanho do texto

Dirigentes do Boca Juniors afirmam que ele se lesionou quando jogou uma partida na prisão. Atacante foi visitar seu irmão, condenado em 2010

Tévez voltou para o Boca Juniors para ser uma das estrelas do clube no Campeonato Argentino e na disputa da Libertadores. No entanto, o atacante não vem rendendo o esperado em campo e ainda está irritando os dirigentes do clube com atitudes fora das quatro linhas.

Leia também: Pogba e Dembélé sofrem injúrias raciais em amistoso na Rússia, diz jornal

Tévez comemora gol após seu retorno ao Boca Juniors
Reprodução
Tévez comemora gol após seu retorno ao Boca Juniors

Nesta semana, foi constatada uma lesão muscular que tirará Tévez dos gramados por cerca de três semanas. Depois de dois dias de folga, o atacante voltou ao clube na última quarta-feira alegando uma lesão na coxa direita. Isso não é um grande problema. O diferente é como o jogador se machucou. 

Segundo o jornal Clarín , o argentino se machucou quando foi disputar uma pelada na prisão de Bouwer, na província de Córdoba. Mesmo sem vídeos e fotos para comprovar que o atacante estivesse lá, testemunhas confirmaram que ele foi visto no interior da cadeia. O local de segurança máxima tem cerca de 2100 detentos alojados.

Leia também: Goleiro italiano urina em campo, é expulso e pega três jogos de suspensão

Tévez foi visitar seu irmão, Juan Alberto Martínez. Ele foi condenado a 31 anos de prisão no dia 11 de dezembro de 2010 por assaltar um caminhão blindado. Beto, como é conhecido o presidiário, foi quem organizou a partida de futebol e quem chamou o craque do Boca Juniors para participar do jogo.

De acordo com testemunhas, o confronto durou pouco mais de 20 minutos, mas não teve nada de amistoso. As entradas eram violentas e nenhum jogador teve pena de Carlitos.

Leia também: Veja como as 32 seleções da Copa 2018 se saíram nos amistosos da data Fifa


Caso Centurión

A lesão de Tévez aconteceu na mesma semana em que os dirigentes do Boca Juniors estavam sorrindo por terem se livrado de um jogador que dava dor de cabeça. Ricardo Centurión, ex-atleta do São Paulo, se recusou a fazer o bafômetro após avançar um sinal vermelho e teve atitutes agressivas com os policiais que o abordaram.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.