Tamanho do texto

Foggia Calcio está agora sob intervenção da Justiça de Milão; mandatário teria recebido cerca de 400 mil euros de organizações criminosas

O juiz de investigações preliminares (GIP) de Milão, Giulio Fanales, nomeou nesta segunda-feira o contador Nicola Giannetti como administrador extraordinário do Foggia Calcio , após o presidente do clube ter sido preso sob a acusação de lavagem de dinheiro .

Leia também: Acusado de doping, brasileiro do Cagliari presta depoimento

O presidente do Foggia Calcio, Fedele Sanella, foi preso acusado de lavagem de dinheiro
Divulgação/Ansa
O presidente do Foggia Calcio, Fedele Sanella, foi preso acusado de lavagem de dinheiro

"É uma medida que serve para proteger a sociedade, para garantir que ela continue com seus negócios de forma regular, pacífica e sem obstáculos", disse Giannetti. Com a medida, o Foggia se tornou o primeiro clube do futebol italiano a ter um presidente temporário de um comissário externo.

De acordo com a investigação "Black Security", conduzida pela Direção Distrital Antimáfia (DDA) de Milão, o presidente do Foggia, Fedele Sanella, teria recebido cerca de 400 mil euros de organizações criminosas, reutilizando o montante para pagar salários de atletas e funcionários do clube.

Leia também: Walace se recusa a mudar de posição e é suspenso do Hamburgo

A mesma operação levou à prisão o ex-presidente do Foggia Ruggiero Massimo Curci, também por lavagem de dinheiro.

Em campo


Leia também: Convocação de Ismaily para amistosos da seleção gera alvoroço na internet

Mesmo com o presidente detido, o Foggia está disputando a segunda divisão do "calcio", e é o 12º colocado na competição, com 40 pontos, e está longe dos times que jogarão a Série A na temporada 2018-19. A próxima partida será contra o tradicional Parma, no domingo, dia 25. Na última rodada, vitória sobre o Cesena por 2 a 1.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.