Tamanho do texto

Com uma tatuagem na perna, atacante brasileiro eternizou em sua pele um momento muito importante de quando vestiu a camisa do clube catalão

Neymar Jr defendeu o Barcelona entre os anos de 2013 e 2017
Twitter / Reprodução / AS
Neymar Jr defendeu o Barcelona entre os anos de 2013 e 2017

Dono de centenas de tatuagens espalhadas pelo corpo, Neymar aproveitou que o artista Thieres Paim estava na França para fazer mais alguns desenhos. Foram quatro novas escolhas e uma delas é sobre o período no qual vestiu a camisa do Barcelona. O atacante registrou na pele a taça da Liga dos Campeões na qual o clube da Catalunha venceu no ano de 2015.

LEIA TAMBÉM: Clube russo quase contratou Neymar por 10 milhões de euros, mas o achou "frágil"

Além do desenho do troféu, há também a data da conquista, 6 de junho de 2015. Na ocasião, o time catalão bateu a Juventus por 3 a 1 com direito a um gol de Neymar e venceu seu quinto título da competição. Naquele ano, o Barcelona conquistou além da Liga dos Campeões, a Copa do Rei e o Campeonato Espanhol.

Confira a nova tatuagem de Neymar:




LEIA TAMBÉM: Neymar deixa adversário no vácuo, é criticado e rebate: "Futebol está chato"

Tatuagem pode atrapalhar os jogadores?

A arte no corpo gerou uma polêmica dentre especialistas da Alemanha, que alegam os impactos causados pelas tatuagens . O Doutor Ingo Frobose, da Universidade de Colônia, insiste para que os clubes proibam seus jogadores de terem desenhos em seus corpos. De acordo com o profissional, os impactos causados vão de problemas com o rendimento e recuperação.

Além disso, Frobose afirma que a tinta pode envenená-los. "A pele é o maior órgão que possuímos, e ainda assim, nós a envenenamos", disse ao jornal britânico The Sun . "Os clubes precisam seriamente cuidar de todos os aspectos de saúde de seus jogadores, mas eles ainda não se preocupam com este comportamento".

LEIA TAMBÉM: Neymar se torna o segundo da história do Campeonato Francês a receber nota 10

"Vários estudos já mostraram que, depois de fazer uma tatuagem, os jogadores sofrem uma queda de três a cinco por cento no nível de desempenho", afirmou o especialista. "Outras pesquisas ainda mostraram que cerca de 60% da tinta das tatuagens não permanecem na pele, mas sim, passam para a corrente sanguínea".

Anos atrás, as tatuagens eram, inclusive, mal vistas pela sociedade e geravam preconceito. Hoje em dia, é muito comum encontrar alguém que possua uma tatuagem e traga com ela uma história ou uma identidade. Jogadores de futebol como Neymar, David Beckham e Zlatam Ibrahimovic são alguns dos quais possuem inúmeras em seus corpos.