Tamanho do texto

Ex-lateral esquerdo abordou assunto antes de partida beneficente no interior de São Paulo. Ele falou ainda sobre oferta para treinar o Bahia

Roberto Carlos foi o lateral esquerdo titular na Copa do Mundo de 2002 e atuou ao lado de outros dois importantes nomes naquela conquista: Ronaldo Fenômeno e Ronaldinho Gaúcho. No entanto, o ex-jogador não acredita que a dupla tenha sido melhor que Cristiano Ronaldo, eleito melhor jogador do mundo em 2017.

Leia também: Adriano fala em "reconstruir" a carreira e admite conversa com o Flamengo

Roberto Carlos, que jogou com Ronaldo e Ronaldinho, acredita que eles não jogaram tanto quanto Cristiano Ronaldo
Divulgação
Roberto Carlos, que jogou com Ronaldo e Ronaldinho, acredita que eles não jogaram tanto quanto Cristiano Ronaldo

"Jogar mais [que o Cristiano Ronaldo ] eu acho que não, mas se tivesse que citar um jogador que foi um ídolo, é o [Ronaldo] Fenômeno", afirmou Roberto Carlos durante entrevista ao canal Fox Sports nesta quinta-feira.

"O Cristiano eu vejo treinar todos os dias e é impressionante o que esse menino trabalha. A atitude dele nos treinamentos, a responsabilidade com os jogos... Ele quer melhorar a cada dia. Essa é a diferença dele para o Messi. O Leo é um fenômeno, e o Neymar então, nem se fala. Mas esse lado do Cristiano de treinamento, profissionalismo, concentração, motivação e exigência leva vantagem sobre os outros", acrescentou o ex-lateral.

Leia também: Totti diz que não quer ser treinador, mas sim 'promover a Roma em todo o mundo'

Ele irá participar de uma partida beneficente chamada "Roberto Carlos entre amigos", ainda nesta quinta, em Ribeirão Preto, ao lado de nomes como Cicinho, Denilson, Carille, Vampeta, Raí, Popó, Diego, Falcão e Dida.

Técnico

Aposentado desde 2015, o canhoto hoje é técnico, mas está sem clube. Em entrevista à ESPN , ele revelou que recebeu uma proposta de treinar o Bahia, que fechou com Guto Ferreira recentemente, mas o contrato que tem com o Real Madrid o impediu de retornar ao Brasil.

"Eu estou com cinco anos de contrato lá com o Real Madrid como embaixador, diretor institucional, Real Madrid televisão, mentor da base do Real Madrid... mas é claro que eu tive uma oferta há pouco tempo do Bahia, com o atual presidente. Mas com esse contrato com o Real Madrid vai ser difícil de eu voltar agora. Mas a minha vontade é voltar a morar no meu país, ainda mais que eu estou há 23 anos fora daqui, mas aqui é minha casa e eu sinto muita saudade quando eu estou lá. Agora, é só esperar", disse.

Leia também: Flamengo encaminha oferta de empréstimo por volante medalhista de ouro no Rio

O ex-jogador falou ainda que a experiência adquirida no trabalho direto com Zinedine Zidane, técnico do Real, e sua experiência na Europa o ajudarão a trabalhar no Brasil um dia.

"Eu já tive uma experiência boa na Rússia, na Turquia e na Índia como treinador. Agora, faço parte da direção do Real Madrid e estou feliz, estou aprendendo. Tenho um contato muito bom com o Florentino Pérez que me passa informações sobre minha evolução como diretor. Com o Zizu, vejo todos os treinamentos e vejo o quanto ele é moderno nos treinamentos. Isso faz com que o Real Madrid seja sempre campeão. Na verdade, eu estou evoluindo a cada dia. Só Deus sabe meu futuro", ponderou Roberto Carlos.

    Leia tudo sobre: futebol