Tamanho do texto

Atleta dos Estados Unidos contou que Baltter apalpou suas nádegas durante evento

Hope Solo durante a Bola de Ouro. Neste dia, ela diz que Blatter a assediou sexualmente
Reprodução
Hope Solo durante a Bola de Ouro. Neste dia, ela diz que Blatter a assediou sexualmente

A onda de denúncias de assédio ou abusos sexuais chegou ao mundo esportivo. O ex-presidente da Fifa Joseph Blatter foi acusado pela jogadora Hope Solo, de 36 anos, goleira da seleção dos Estados Unidos. Solo, que foi campeã do mundo em 2015 e bicampeã olímpica em 2008 e 2012, contou que foi vítima de assédio sexual de Baltter em 2013, antes da cerimônia de entrega do prêmio Bola de Ouro.

Leia também: Aly Raisman, campeã olímpica no Rio, denuncia médico por abuso sexual

A revelação foi feita durante uma entrevista ao jornal "Expresso", de Portugual, onde a goleira está para participar do evento Web Summit. "Blatter apalpou minhas nádegas", relatou Hope Solo . Diante da surpressa do repórter, a goleira continuou. "O Sepp Blatter. Conhece o Sepp Blatter?", questionou a atleta.

Hope Solo é goleira da seleção norte-americana de futebol
Reprodução
Hope Solo é goleira da seleção norte-americana de futebol

"Ele apalpou minhas nádegas. Foi na entrega da Bola de Ouro há uns anos, antes de subir ao palco. É algo que se vulgarizou", contou Solo. Na ocasião, em janeiro de 2013, Solo tinha 30 anos de idade e Blatter, 76. Ela subiu ao palco para entregar o prêmio de melhor jogadora do mundo a Abby Wambach, também da seleção dos Estados Unidos.

Leia também: Campeã olímpica McKayla Maroney diz que foi abusada por médico aos 13 anos

Mais denúncia no esporte

A exemplo do que aconteceu nas últimas semanas, a ginasta norte-americana Aly Raisman repetiu o que fez a colega McKayla Maroney e revelou também ter sofrido abuso sexual pelo médico Larry Nassar , em entrevista à emissora CBS . O crime também foi contado em seu livro "Fierce", que ainda não chegou às lojas.

Campeã e capitã da seleção norte-americana nos Jogos Olímpicos de 2012 e 2016, Aly Raisman contou que chegou a procurar o FBI depois das Olimpíadas do Rio de Janeiro, onde conquistou o ouro por equipes e a prata no individual geral e também no solo.

Leia também: Três ex-ginastas dos EUA acusam médico por abuso sexual

"Estou com raiva. Estou realmente chateada. Vejo essas jovens garotas que vêm até mim, pedem fotos, autógrafos ou o que quer que seja... Só quero criar mudança para que elas nunca tenham de passar por isso", desabafou a ginasta, assediada assim como Hope Solo e muitas outras.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.