Lance


Abel Braga deixou o comando do Flamengo
Reprodução / Flamengo
Abel Braga deixou o comando do Flamengo

Vice-presidente de Relações Externas do Flamengo , Luiz Eduardo Baptista comentou que, durante a passagem de Abel Braga pelo clube em 2019, as entrevistas do treinador foram motivos de discussões entre a direção rubro-negra. "A gente achava e discutia, que ele deveria estar de sacanagem. A gente pensava, ou ele bebeu, ou estava drogado", afirmou Bap em entrevista ao canal "Ser Flamengo".

Leia mais: Mudança de direitos de transmissão não é inconstitucional, diz especialista

- Eu tenho um carinho pelo Abel (Braga), eu gosto dele como pessoa. Eu acho, minha opinião, que ele teve uma perda importante na vida dele, que eu espero que nenhum de nós tenha. Respeito muito o problema que ele passou. Eu e Landim conversamos muito com o Abel sobre as razões dele voltar. (...) O Abel estava com muito ‘tesão’ pra voltar (dirigir um time). Nós falamos pra ele, muito claramente, que queríamos ganhar tudo, e ele, na época, afirmou que isso era muito difícil. A gente sabe que é difícil, mas esse é o nosso objetivo. Falamos também que era função dele avaliar o dia-a-dia do time para pedir as ferramentas necessárias para conquistar todos os títulos que queríamos. Beleza? Beleza. Mais uma coisa, Abel. A gente acha que você se explica demais quando você perde, gostaríamos de dividir um pouco o conhecimento que temos disso - afirmou Luiz Eduardo Baptista, o Bap.

No comando do Flamengo, Abel Braga conquistou o Campeonato Carioca de 2019, totalizando 28 jogos, com 18 vitórias, 6 empates e 4 derrotas. Com 54 gols marcados pela equipe a favor e 24 sofridos, tendo um aproveitamento de 64%. No entanto, as atuações não agradaram boa parte da torcida rubro-negra. Pressionado, o experiente treinador pediu demissão em maio do ano passado.

- Chega uma fase da vida, eu acho, que as pessoas têm mais dificuldades de aceitarem críticas ou aprenderem. Matematicamente, nos últimos 10 anos, só o Jorge Jesus apresentou uma performance melhor do que o Abel, mas as declarações dele criaram para ele uma situação de loucura. Você contrata um cara como o Abel, você acha que ele deixa que interfiram na escalação dele? Qual técnico que aceita isso? Mas ele vai para a imprensa e diz que quer ouvir da diretoria o que acha sobre poupar jogador três dias antes do clássico. O Flamengo, vamos combinar, não performando, com atletas que o tempo provou que estavam corretas, não soube colocar os jogadores certos para jogar. Não conseguiu dar um padrão técnico e tático para o Flamengo. Foi se desgastando. Assim entendíamos que o ciclo do Abel iria acabar rápido, e 70% por causa dele.Houve um momento, que a gente achava e discutia internamente, que ele devia estar de sacanagem. A gente olhava ele dando entrevista e falava: "Cara, tem alguma coisa que não estamos entendendo. Ou ele bebeu, ou ele está drogado. Não é possível ele estar falando o que ele está falando". Falar que o Beira Rio é mais bonito do que o Maracanã, que perder é normal, para o Atlético-MG, para o Inter era normal, com o time jogando mal. A impressão que alguns de nós tivemos é que ele estava forçando uma saída".

    Veja Também

      Mostrar mais