Jorge Salgado, presidente do Vasco
Reprodução
Jorge Salgado, presidente do Vasco

O buffet Aquim, que fornece comidas e bebidas aos torcedores que compram ingressos para o setor Maracanã Mais, um dos mais caros do Maracanã, está cobrando uma dívida de R$ 130 mil do  Vasco. O débito foi contraído há exato um mês, quando o clube jogou no estádio contra o Sport, pela série B do Campeonato Brasileiro.


O Vasco deveria ter repassado ao buffet 30% do valor de cada ingresso vendido para o setor, conforme estipulado em contrato. A empresa tenta receber a quantia de forma amigável, antes de procurar a Justiça.

Essa partida só aconteceu no Maracanã porque o Vasco conseguiu na Justiça o direito de jogar no estádio. O Consórcio Maracanã negou ao clube o pedido para que a partida fosse realizada lá, sob a alegação de que iria deteriorar o gramado.

Este não é o único débito do cruz-maltino com o Maracanã. O clube ainda deve R$ 246 mil ao consórcio por ter usado o estádio para jogar. A última parcela desta dívida foi paga em julho de 2021.

Entre em  nosso canal no Telegram e veja as principais notícias do esporte no Brasil e no mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários