Atrito entre Diego Alves e Paulo Sousa continua
Reprodução/Flamengo
Atrito entre Diego Alves e Paulo Sousa continua

Passadas quase duas semanas e três vitória seguidas do Flamengo, o goleiro Diego Alves está totalmente recuperado e à disposição da comissão técnica após ficar fora de ação por causa de uma pubalgia, que motivou uma guerra de narrativas sobre seu retorno.

Mas a ferida que o técnico Paulo Sousa (veja fotos na galeria abaixo) e a diretoria tentaram fechar com uma entrevista coletiva após o jogo com o Goiás, no dia 21 de maio, não tornou mais leve o ambiente entre o técnico e o veterano. Mesmo integrado ao grupo e treinando normalmente, o camisa 1  segue fora dos planos. Só deve ser utilizado em caso de lesão de Hugo, hoje titular, uma vez que Santos ainda levará uns dias para estar recuperado de uma grave contusão muscular.


Internamente, a relação do camisa 1 com o treinador e o preparador de goleiros Paulo Grilo é protocolar, para não dizer inexistente. Insatisfeito com o tratamento que lhe é dado, Diego Alves já não faz a menor questão de preservar a harmonia no dia a dia.

Após o jogo com o Sporting, pela Libertadores, mais uma vez compareceu ao vestiário do Maracanã, como tem feito sempre, e emendou discurso de Rodinei, que agradecia pelos 200 jogos com a camisa do Flamengo. Ao ouvir do lateral "tamo junto, rapaziada", Diego Alves retrucou: "Juntos, menos alguns". O recado foi claro para a comissão técnica que estava presente, e o clima pesou ainda mais.

O goleiro não ficou satisfeito com as justificativas de Paulo Sousa, que alegou que o jogador não estava pronto para voltar a jogar e precisava cumprir etapas, o que não aconteceria conversando em um almoço com o diretor Bruno Spindel. A declaração dada após a vitória sobre a Universidad Católica gerou saia justa com a direção, e tanto o técnico como o dirigente tentaram abafar a situação ao lado do vice de futebol Marcos Braz, mas o goleiro não esteve na coletiva no fim de semana seguinte.



Clube trava acordo e aguarda ofertas

Diego Alves tem contrato até dezembro e já pode assinar com outro clube a partir de junho. A ideia do Flamengo é que o jogador encontre um destino para abreviar sua passagem, pois o departamento financeiro travou qualquer negociação pro acordo que gere despesas altas neste momento. A mesma política vale para outras peças do elenco em fim de contrato, como Diego, Isla e Rodinei. A questão é que Diego Alves tem salário elevado e mercado escasso no momento no Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários