Flamengo perde para o Athletico no Maracanã e dá adeus à Copa do Brasil
Marcelo Cortes/Flamengo
Flamengo perde para o Athletico no Maracanã e dá adeus à Copa do Brasil

O técnico Renato Gaúcho não poderá mais dizer que o Flamengo disputa três competições. O Rubro-Negro carioca encarou o Athletico no Maracanã, tomou um baile tático e viu o Furacão passar por cima ao meter 3 a 0 com mais de 30 mil pessoas presentes no estádio, que xingaram a equipe e o comandante.

(Veja fotos da vitória do Athletico sobre o Flamengo no Maracanã)


O primeiro tempo foi marcado por um Flamengo totalmente desorganizado, sobre tudo no setor defensivo, mas que via o Athletico com estratégia clara, jogar fechado e se arriscar no contra-ataque. E, logo aos sete minutos, o Rubro-Negro carioca fez justamente o que o Furacão estava esperando: falhou. Diego Ribas errou na saída de bola, Kayzer recebeu de Marcinho, mas foi derrubado na área. Após alguns minutos de checagem no VAR, o árbitro deu pênalti. Nikão bateu e converteu.

Com a vantagem no placar, o Athletico intensificou a proposta de jogo de atuar atrás da linha do meio de campo. O Flamengo, que chegou a ter 80% da posse de bola, apesar de pressionar, não conseguia transformar em perigo de gol. Aos 31, no cruzamento de Filipe Luís na área, Thiago Heleno derrubou Bruno Henrique, e o árbitro, muito próximo, não hesitou e marcou a penalidade. O lance foi verificado no vídeo, e a penalidade máxima anulada.

Aos 40, o Flamengo chegou chegou novamente com perigo. Isla ficou com a bola na raça na direita e deu em Everton Ribeiro, que cruzou de primeira. Bruno Henrique emendou um voleio de direita, e Santos, bem colocado, defendeu com segurança.

O Athletico, aos 46, voltou a assutar. Numa bobeada impressionante da defesa do Flamengo, Nikão recebeu o lançamento sozinho na direita do ataque, dominou, mas Filipe Luís cortou o passe para Erick, que ia entrando sozinho na área. Mas, aos 52, o Furacão conseguiu ampliar. Em grande contra-ataque, Kayzer deu na direita da área para Nikão, que dominou e bateu cruzado de direita. Diego Alves aceitou, e a bola entrou de mansinho no gol.

 Antes do fim do primeiro tempo, aos 54, o Flamengo perdeu uma chance incrível. Ótima enfiada de bola de Everton Ribeiro para Isla, o lateral, dentro da área, cruzou para trás rasteiro. Quase na marca do pênalti, sozinho, Andreas finalizou de primeira com a esquerda e mandou por cima do gol de Santos.

Leia Também

Para o segundo tempo, Renato Gaúcho acou Diego Ribas e colocou Michael, e o time melhorou. Com o camisa 19, o Athletico precisou se abrir mais, já que o atacante caia pelos dois lados e confundia a marcação.

Leia Também

Aos sete, Michael só não fez chover no Maracanã e quase marcou um golaço. O atacante recebeu na entrada da área, driblou um, dois, três, quatro... foi da esquerda para a direita costurando e bateu firme. Já meio caído, Santos esticou o braço e defendeu. A bola ainda beijou o travessão.

A pressão rubro-negra continuou. Aos 11, no escanteio cobrado para a área, Léo Pereira apareceu rápido no primeiro pau e desviou de cabeça. A bola balançou a rede, mas pelo lado de fora. Aos 15, o Flamengo chegou novamente com perigo. Michael invadiu a área e acabou desarmado, mas a bola sobrou para Gabigol, que bateu de primeira à esquerda do gol de Santos.

Aos 17, em ótima enfiada de bola na direita de Gabriel para Isla, que foi até a linha de fundo e cruzou para trás na direção do próprio Gabi, que finalizou de primeira por cima do gol. Aos 21, Renato Gaúcho fez mais uma alteração: sacou Filipe Luís e colocou o jovem Ramon.

Aos 35 minutos, o cenário ficou melhor para o Flamengo.  Khellven, que havia acabado de entrar no time do Athletico, foi expulso, e o Furacão ficou com um a menos. Mas, mesmo com vantagem numérica em campo, sofreu o terceiro. Após contra-ataque do Furacão, Pedro Rocha foi lançado na esquerda, segurou a bola de forma inteligente, gira e deu na área para Zé Ivaldo, que chegou como uma flecha e finalizou no cantinho de Diego Alves, aos 43, e fechou o caixão.


Com o terceiro do Athletico, os torcedores do Flamengo presentes xingaram Renato Gaúcho, gritaram o nome de Jorge Jesus, português que fez sucesso como treinador do Rubro-Negro e chamou a equipe de "sem vergonha".

O Flamengo agora vira a chave e foca na "decisão" do Campeonato Brasileiro diante do Atlético-MG, no Maracanã, às 19h. Caso o time não vença, o título da competição ficará mais distante ainda.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários