Campeonato Paulista
Reprodução / Instagram
Campeonato Paulista

Apesar da expectativa de suspensão dos jogos do Campeonato Paulista diante do avanço da Covid-19 em todo o país e no estado, o governo de São Paulo não anunciou nesta quarta-feira uma interrupção nas partidas. O campeonato, iniciado em 27 de fevereiro, por enquanto segue o curso previsto, sem a torcida em campo.


Havia uma expectativa de anúncio de paralisação do campeonato já nesta quarta-feira, prevista inclusive por integrantes do governo. Além disso, o tema vem sendo debatido pelo Centro de Contingência do coronavírus, formado por autoridades de saúde. Na terça-feira, também houve uma manifestação do procurador-geral do Ministério Público de São Paulo (MP-SP), Mario Sarrubbo, recomendando publicamente ao governador João Doria que suspendesse os jogos de futebol e demais atividades religiosas coletivas.

"À luz dos princípios da prevenção e precaução em matéria de saúde pública, (recomenda que Doria) tome as devidas providências para suspensão da realização de cultos, missas e demais atividades religiosas de caráter coletivo e de eventos esportivos de qualquer espécie, inclusive partidas de futebol, durante a fase vermelha do Plano São Paulo", afirmou Sarrubbo.

Questionado sobre uma futura suspensão dos jogos, diante do pedido do MP, membros do Centro de Contingência afirmaram que essa é uma medida que ainda está em avaliação.

Você viu?

- Estamos trabalhando como viabilizar medidas que possam aumentar o nível de isolamento social. Não tomamos medidas em função de um setor ou outro. O que precisamos é reduzir o contato entre as pessoas. Em relação às recomendações, elas podem fazer parte de uma série de medidas que vão se somar ao que já temos hoje. Estamos trabalhando nisso. O governador vai anunciar isso assim que for conveniente - avaliou Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência.

Fase vermelha

Considerada a mais crítico do plano que norteia a flexibilização das atividades durante a pandemia, a fase não permite qualquer tipo de atividade que gere alguma aglomeração. Ficam abertos, nesse sentido, apenas atividades consideradas essenciais, como serviços de alimentação e saúde. Está proibido consumo local em bares e restaurantes, funcionamento de salões de beleza e barbearias e também a abertura do comércio.

São Paulo também está sob o chamado "toque de restrição", que intensitifica a fiscalização de aglomerações e festas clandestinas entre 20h e 5h. A medida está em vigor pelo menos até 19 de março, segundo o governo paulista.

Ontem, a Federação Paulista de Futebol havia dito que nao existem argumentos que sustentem a tese de que o futebol profissional gere aumento no número de casos de coronavírus. "Pelo contrário, o futebol possui um protocolo extremamente rigoroso, com acompanhamento médico diário e testagem em massa de seus profissionais. Uma eventual paralisação seria ainda mais prejudicial ao combate à Covid-19, pois deixaria expostos milhares de atletas, que não mais passariam a ter o controle médico diário", diz o documento.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários