Leandro Castan
Rafael Ribeiro/Vasco
Leandro Castan

Leandro Castan quebrou o silêncio. Capitão na campanha que decretou o quarto rebaixamento para a Série B do Campeonato Brasileiro, o zagueiro compartilhou a sua frustração com o torcedor. Sem coletiva ou entrevistas concedidas ao término do jogo contra o Goiás, em São Januário, o zagueiro, via redes sociais, pediu desculpas aos vascaínos e não garantiu a permanência na Colina no processo de reconstrução do Vasco na disputa da Segundona.


"Com certeza todos somos responsáveis, e espero que dessa vez o Vasco aprenda com essa queda, para que seja a última de um clube gigante que não pode estar lá embaixo. O futuro agora é incerto para todos", escreveu.

Após o melancólico fim de noite de quinta-feira, a vitória sobre o Goiás, de virada, por 3 a 2, em São Januário, encerrou o jejum de seis rodadas no Campeonato Brasileiro, mas não foi suficiente para devolver o orgulho em meio à consumação do quarto rebaixamento do Vasco, em 12 anos. Sincero, o camisa 5 admitiu que não manteve o nível de desempenho dos anos anteriores, mas listou uma série de problemas que culminaram com o rebaixamento. Confira abaixo a postagem de Leandro Castan na íntegra.

"Queria escrever pra você torcedor vascaíno, encontrar palavras nesse momento não é fácil, um campeonato que começou tão bom para gente e acabou assim. Primeiro preciso pedir desculpas, esse ano não consegui ser aquele cara que vocês se acostumaram. Infelizmente depois que trocamos o treinador as coisas deram muito errado, agora todos querem achar os culpados. Com certeza todos somos responsáveis, e espero que dessa vez o Vasco aprenda com essa queda para que seja a última de um clube gigante que não pode estar lá embaixo. O futuro agora é incerto para todos. Só queria dizer que tenho um orgulho imenso em ter vestido e vestir essa camisa", postou o zagueiro.

Com contrato válido até o fim de 2022, Leandro Castan , de 34 anos, possui um dos maiores salários do Vasco, ao lado dos argentinos Martín Benítez e Germán Cano, estes, cotados em dólar. Com folha salarial na faixa de R$ 4 milhões, apenas com o departamento de futebol, o clube pretende reduzir o valor gasto para a disputa da Série B.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários