Faixa colocada durante o protesto
Divulgação
Faixa colocada durante o protesto

Gaviões da Fiel , principal organizada do Corinthians , fez um protesto esvaziado nesta sexta-feira, no Parque São Jorge. Por conta do novo coronavírus, a torcida preferiu não convocar os associados e compareceu ao local apenas com membros da diretoria.

O principal questionamento no protesto foi sobre a gestão liderada por Andrés Sanchez , porém, faixas lembraram também Mário Gobbi , hoje oposição e que deve concorrer a eleição, e Roberto de Andrade . Desde o fim de 2007, o Corinthians não teve nenhum outro presidente além destes três, todos da mesma chapa, a “Renovação e Transparência”.


Ao todo, o protesto contou com cerca de 30 torcedores, que estenderam faixas como: “Planejamento; “Paguem as dívidas”; “Um novo modelo de gestão”; “O povo é quem vai salvar o Corinthians”; “Cadê a transparência”; “A Gaviões pede basta”; “Situação e oposição, o câncer do Corinthians”.

O ato aconteceu um dia após os muros do Parque São Jorge aparecerem pichados. Até agora, a diretoria não se manifestou sobre o protesto de hoje. Sobre o corrido ontem, a administração acusou os responsáveis de “milicianos” e “criminosos”.

Leia a nota oficial da Gaviões sobre o protesto de hoje:

Na manhã desta sexta-feira (19), estivemos no Pq. São Jorge para realizar mais um protesto contra a diretoria do Corinthians. Para evitar aglomeração nesse período de pandemia, optamos por não fazer uma convocação geral para os sócios. Apenas membros da diretoria e da comissão formada por sócios que acompanham os assuntos do clube foram ao protesto.

Um dos motivos da manifestação é a falta de transparência do clube com a torcida em relação a situação financeira. Em diversas vezes cobramos esse posicionamento. Pedimos para a diretoria ter pulso e coragem para falar com a torcida sobre os problemas financeiros, mas isso não foi feito e todos os dias nos deparamos com notícias de dívidas milionárias.

Outra pauta que foi levantada no protesto de hoje é a próxima eleição do Corinthians. Alguns nomes de ex-dirigentes foram citados para assumir o clube com o status de “salvador da pátria”, mas os Gaviões são contra o retorno desses ex-dirigentes ao poder. Eles já mostraram no passado que não sabem administrar, encheram o clube de dívidas e também são responsáveis pelos problemas atuais do Corinthians.

Recentemente foi divulgada uma pesquisa em que parte da torcida do Corinthians prefere ganhar títulos do que ter um time limitado para pagar as contas. Os Gaviões da Fiel não concordam com essa linha de pensamento dos torcedores. O clube precisa arrumar a casa para depois voltar a pensar em títulos. E isso será cobrado da próxima gestão.

Gostaríamos de reforçar que o foco agora é encontrar uma saída para acabar com as dívidas, mesmo que a consequência disso seja o Corinthians ficar longe de títulos. Sabemos que o clube está nessa situação por conta da falta de planejamento, dos dirigentes incompetentes, da autonomia dos empresários e os salários milionários dos jogadores. As conquistas dos últimos anos empurraram os problemas para debaixo do tapete, só que depois de tanta sujeira, ficou difícil escondê-los e agora será necessário focar no pagamento das dívidas – e a torcida vai ter que entender isso.

Ficamos mais de 22 anos sem gritar é campeão, mas não deixamos de torcer e apoiar em nenhum minuto. Infelizmente a geração de torcedores que vibrou com as conquistas recentes ainda não teve a experiência de sofrer durante um período de jejum de títulos e se tivermos que ficar mais de cinco anos sem ganhar nada para quitar todas essas dívidas, com um time limitado, mas com jogadores que honrem a camisa, aceitaremos passar por isso mais uma vez.

Além disso, é importante deixar claro que se o próximo presidente levantar a bandeira e assumir o compromisso com a Fiel Torcida que pagar as dívidas será a prioridade do clube nos próximos três anos, os Gaviões estarão ao lado da diretoria do Corinthians para fazer o que for preciso para tirar o clube dessa situação.

Desde o momento que foi instalada a comissão interna dentro dos Gaviões, realizamos diversas cobranças ao clube. Além dos protestos com a participação dos torcedores, fomos atrás de diversas fontes para entender as dívidas. Questionamos o presidente, dirigentes de futebol, os responsáveis pela Arena Corinthians e ainda estávamos buscando ouvir a posição dos membros do conselho, representantes da Odebrecht e do banco Caixa, mas por conta da pandemia, não conseguimos realizar essas reuniões.

Por fim, informamos que os protestos e o nosso posicionamento contra a atual diretoria continuam até que seja divulgado de forma transparente a situação financeira do clube.

    Veja Também

      Mostrar mais