Corinthians coloca à venda novo lote de máscaras
Reprodução
Corinthians coloca à venda novo lote de máscaras

Em meio à pandemia mundial, usar máscara virou um dos itens indispensáveis para tentar desacelerar a transmissão, já que o coronavírus se espalha por gotículas suspensas no ar quando pessoas contaminadas conversam, tossem ou espirram. Porém, já que no Estado de São Paulo virou obrigação incorporá-las como acessório, que isso seja feito com estilo e também ajudando a quem precisa.

Leia também: Meia do Corinthians não chega a acordo e justiça definirá comissão por venda

Após o sucesso no lançamento realizado em abril, quando cerca de 1.200 máscaras se esgotaram em duas horas, o Corinthians colocou à venda, no ShopTimão, um novo lote de máscaras reutilizáveis, que contam com modelos pretos e brancos, levam um pequeno escudo colorido do clube e são confeccionadas em malha 100% poliéster.

Segundo apurado pela reportagem do iG , nove mil peças foram disponibilizadas nesse segundo momento. Além disso, como parte da campanha “Um Por Todos”, 30% de tudo o que for arrecadado com a operação será destinado a instituições carentes previamente cadastradas pelo Departamento de Responsabilidade Social do alvinegro.

Assim como no lançamento, o Corinthians disponibilizou ao torcedor um pacote com seis máscaras, com o preço de R$ 69,99. O valor é R$ 20,00 mais caro em relação ao primeiro lote. Questionado sobre a alta no valor, o clube informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que “não é o clube quem determina (o preço), mas o operador de sua loja oficial”. De acordo com as orientações do Ministério da Saúde, a máscara deve ser individual e usada por no máximo duas horas. Após esse período, o ideal é lavar com água sanitária antes de reutilizá-la.

Vale ressaltar que um novo estudo publicado na Nature Medicine, no início desse mês, apontou que as máscaras limitam “expressivamente” a difusão do novo coronavírus . Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores dividiram 123 pessoas com pelo menos uma infecção respiratória em dois grupos: os que usariam máscara e os que não usariam. Todos tiveram o ar expirado durante 30 minutos coletado por uma máquina.

Dentre os participantes, 17 pessoas estavam infectadas com coronavírus humano sazonal, 43 com Influenza e 54 com rinovírus também sazonal. Uma pessoa tinha coronavírus e Influenza ao mesmo tempo, e outras duas apresentaram contaminação simultânea por Influenza e rinovírus. No grupo dos voluntários sem máscaras, foram detectadas partículas virais do coronavírus em gotículas respiratórias e aerossóis, respectivamente, em 30% e 40% das amostras. Já entre os que usaram máscara não houve detecção.

A venda das máscaras é mais uma iniciativa do Corinthians para mitigar os efeitos da pandemia do coronavírus entre os mais vulneráveis. O clube já organizou uma campanha de doação de sangue na Arena, intermediou a doação de equipamentos de proteção individual para o Hospital Santa Marcelina, em Itaquera, e tem realizado semanalmente lives com ídolos do clube com o objetivo de arrecadar cestas básicas. Mais de cinco toneladas de alimentos já foram entregues em comunidades carentes em parceria com o BMG, patrocinador do alvinegro.

Hoje, por meio de nota oficial, o clube reafirmou que está à disposição das autoridades no que for necessário, apontando que “sua sede social, Parque São Jorge, Centro de Treinamento Doutor Joaquim Grava e a Arena Corinthians” permanecem à disposição, assim como informado no dia 19 de março. Ainda no comunicado, o clube explicou que a reiteração da disponibilidade “visa repudiar toda e qualquer iniciativa oportunista de lideranças políticas em todas as esferas de poder”.

    Veja Também

      Mostrar mais