Lance

Lance

Alexandre Mattos, ex-dirigente do Palmeiras
Site oficial
Alexandre Mattos, ex-dirigente do Palmeiras

Alexandre Mattos está no Atlético-MG, mas mostrou ainda se incomodar com gozações destinadas ao clube em que trabalhou de 2015 a 2019. O ex-diretor de futebol do Palmeiras afirma que o clube não apenas tem título mundial como a conquista da Copa Rio de 1951 é a mais difícil de todas, inclusive tendo sido a primeira do futebol brasileiro, antes mesmo da Copa do Mundo de 1958.

Leia também: Ex-Palmeiras, Borja denuncia abuso sexual de vaca em sua fazenda

- É uma palhaçada, porque o Palmeiras tem o mais difícil de todos os Mundiais. Hoje, tem tecnologia e tudo. Vai ganhar em 1951. É difícil, meu amigo... E o Palmeiras foi o primeiro a ganhar um título mundial pelo futebol brasileiro - argumentou Alexandre Mattos, em entrevista à Fox Sports nesta quinta-feira.

- O Palmeiras era a equipe com mais tabu negativo na história que eu conhecia, e rompemos quase todos. Foi recorde atrás de recorde. Escutei do (vice-presidente Paulo) Buosi que mudamos tanto o patamar que as gozações mudaram. Antes, quando cheguei, em 2015, era bi-rebaixado. Depois, mudou para Mundial, porque não têm nada para falar e falam disso. Mas o Palmeiras sente aqui dentro - disse, batendo no peito, e prevendo mais títulos no Verdão.

- O Palmeiras vai ganhar (o Campeonato Brasileiro) de novo, neste ano ou no ano que vem, e vai ganhar a Libertadores, porque, para ganhá-la, tem que participar, e classificamos o Palmeiras para a Libertadores pela quinta vez seguida. O Palmeiras está no processo e as coisas vão acontecer quando Deus creditar a isso - declarou, fazendo comparações com o Flamengo .

- Não dá para comparar projetos. São objetivos iguais, mas projetos absolutamente diferentes. Se o Palmeiras não existisse em 2016 e 2018, o Flamengo estaria comemorando três Brasileiros. Muita gente criticou o Palmeiras por ter contratado, em 2019, para preencher o elenco, e o Flamengo contratou titulares. Simples: necessidade. O Palmeiras foi campeão brasileiro em 2018 utilizando o time reserva quase um turno. Ainda assim, buscamos Ricardo Goulart, Vitor Hugo, Ramires, todos para serem titulares - lembrou.

- O Palmeiras fez R$ 650 milhões (em 2018) porque vendemos R$ 200 milhões. É uma covardia a comparação com o Flamengo, que, por mérito, tem uma receita superior a de qualquer outro clube do Brasil, R$ 200 milhões maior do que a do Palmeiras. E tem o Marcos Braz, talvez o melhor dirigente do futebol brasileiro. E o que fez a diferença fundamental foi a inteligência de ter a percepção de buscar o Jorge Jesus. Foi a diferença para tudo - analisou.

    Veja Também

      Mostrar mais