Universidade Drummond arrow-options
Divulgação
Universidade Drummond

A pandemia do novo coronavírus trouxe reflexos nas instituições de ensino de todo o país. Por ora, aulas estão suspensas e não há, ainda, qualquer previsão de quando tudo será normalizado. Diante das medidas restritivas instaladas no Estado, uma iniciativa pioneira na Arena Corinthians também está em compasso de espera. Trata-se do campus da Universidade Drummond , instalado no 10º andar do estádio, localizado na Zona Leste de São Paulo.

Leia mais: Cogitado no Corinthians, Bandeira de Mello descarta ir para rival

A presença da instituição é uma das apostas do Corinthians para trazer um pouco de alívio nas contas da Arena, dentro da ideia que o estádio precisa “ganhar vida” em dias sem futebol. Em entrevista exclusiva ao iG , o empresário Osmar Basílio, proprietário da UniDrummond, confirmou à reportagem o período e a composição financeira do contrato. “A parceria tem duração de cinco anos e existe a possibilidade de ser automaticamente renovada pelo mesmo período, desde que a Universidade cumpra algumas performances pré-estabelecidas no contrato. Nós hoje pagamos o aluguel do espaço, mas, ao invés desse valor fixo, a Arena pode ter uma participação nas receitas. O que vai prevalecer é sempre o maior valor. Não é algo cumulativo”, explica ele.

A expectativa agora é pelo início efetivo das aulas presencias. Isso porque, no início de março, o espaço contou com uma aula inaugural, porém, poucos dias depois, tudo foi paralisado por conta do coronavírus. “Nós chegamos a iniciar as aulas presenciais. Acontece que cerca de uns 15 dias depois tivemos o início da pandemia. Dessa forma, interrompemos e iniciamos as aulas remotas, buscando cumprir o mínimo da grade horária”, diz o empresário, preferindo aguardar para saber se algumas das metas iniciais sofrerão abalo por conta do Covid-19. “Já estávamos com 150 alunos e a nossa capacidade é de cerca de 1.200 por período. Assim, nosso objetivo era alcançar esse total de 2.400 alunos em 2021. A princípio, a ideia era ter um vestibular nesse meio do ano, com um incremento de mais 600 alunos, mas, agora tudo virou uma incógnita. Não dá para prever. O ideal (para cumprir a meta) seria ter a certeza que poderei realizar esse processo seletivo até no máximo o início de junho. Mas, não estou muito otimista que será possível”.

Com 24 salas, além de laboratórios, a obra do campus foi iniciada em dezembro e, em março, a estrutura física já estava 100% pronta. Somente os equipamentos de salas especiais e que envolvem tecnologia foram deixados para serem comprados “em cima da hora”, já que a ideia é adquirir aparelhos de última geração e o de que mais novo estiver disponível no mercado. Um receptivo, que ficaria no 5º andar (átrio), também não teve sequência, mas, será concluído, segundo Osmar, “assim que passar esse tsunami do coronavírus”.

Leia mais: Oposição no Corinthians vê união ‘truncada’ e espera resposta de Gobbi até maio

Mesmo sem uma certeza que a iniciativa de colocar uma Universidade dentro da Arena dará certo, as partes também já previram uma possível ampliação e também a instalação de outras novidades educacionais. “Está previsto sim uma ampliação e existe espaço para isso. Também queremos a entrada de mais cursos no campus e que ainda não levamos, como o de fisioterapia, por exemplo. A ideia é que essa parceria cresça mais e que possamos ter, inclusive, um colégio lá dentro. O importante nesse momento é ocupar os espaços da Arena, que é um monstro, mas, em dias sem jogos ainda não tem vida. Vejo o campus como um pontapé para trazer novidades e ajudar a movimentar as atividades já existentes na Arena. Tanto que optamos em não colocar uma lanchonete ou restaurante dentro da Universidade para não concorrer com os colegas que estão lá”, diz.

A ideia também já começou a ganhar o mundo. Segundo Osmar , recentemente, alguns representantes da África do Sul o procuraram, já que estariam dispostos a instalar algo parecido no país. “A ideia deles é fazer uma grande universidade do estádio que foi a abertura da Copa do Mundo de 2010 (Soccer City, em Johannesburgo). Aquilo lá tem um espaço absurdo. É um estádio para 90 mil pessoas. Me procuraram e propus ajudar com ideias, mostrando o projeto que fizemos na Arena. Não estou nem visando ganhar nada com isso. A ideia é só ajudar a levar esse benefício para eles. Também tivemos algumas consultas vindas dos Estados Unidos, mas, nada muito sério. Acredito que estamos fazendo algo diferente e que vem chamando a atenção”, conclui.

Atualmente, os cursos ofertados pelo Centro Universitário no campus são: Direito, Ciências Contábeis, Logística, Educação Física, Pedagogia, Administração e Gestão de Futebol, além de mais de 30 cursos a distância. Por se tratar de uma Arena com jogos, a Universidade irá disponibilizar aos alunos um transporte gratuito partindo da Estação Itaquera do Metrô. Além disso, as quartas-feiras, dia da semana em que ocorrem a maioria dos jogos do Corinthians no estádio, foram destinadas às aulas de Ensino a Distância (EAD). “Pode, claro, ocorrer jogos fora das quartas-feiras, mas, nesse caso específico, será dada uma aula de reposição no sábado. Mas, toda a parte de evento é discutido em conjunto entre as partes, já que utilizamos também outras áreas na Arena, como o Anfiteatro. Temos um bom relacionamento e a programação é feita a cada início de semestre, já ajustando tudo isso”, conclui ele, que já foi presidente do Conselho Fiscal do Corinthians.

Vale lembrar que os torcedores inscritos no Fiel Torcedor e os sócios do clube têm descontos nas mensalidades, que vão de 20 a 70% Outro diferencial da parceria é que serão priorizadas pelo Corinthians a contratação de estagiários da Drummond.

    Veja Também

      Mostrar mais