Os problemas do Botafogo vão além de planejar a estreia de Keisuke Honda, que acontecerá com os portões fechados. Com o avanço do coronavírus no Rio de Janeiro, que tem 19 casos confirmados, os funcionários do clube temem a doença por se sentirem desprotegidos devido a falta de planos de saúde e atrasos salariais em entrevista ao Extra.

Leia também: Presidente do Palmeiras reúne rivais por posição à FPF sobre coronavírus

botafogo
Botafogo F.R./Facebook
Botafogo atravessa grave crise financeira


O Alvinegro não oferece o auxílio aos funcionários, que temem não terem como se tratarem caso testem positivo para o coronavírus. Procurado, o Botafogo declarou que "está realizando campanhas internas de prevenção, distribuindo cartazes, álcool gel e outras recomendações em toda as suas sedes". Também diz que está "em contato frequente com os órgãos de saúde, estuda implementar um regime de trabalho diferenciado, evitando mitigar os riscos de propagação do vírus".

Leia também: Valencia comunica que cinco pessoas do clube estão com o COVID-19

A reportagem apurou que, além do Botafogo, o Vasco também não oferece plano de saúde — apenas o dentário, de acordo com funcionários ouvidos. O Cruz-maltino foi questionado às 15h46 da última sexta-feira sobre o assunto, mas não se manifestou. Flamengo e Fluminense oferecem planos de saúde para os contratados.

No Botafogo, os funcionários temem também a doença devido aos salários. Apesar dos jogadores estarem com os débitos em dia, quem trabalha no clube tem dois meses pendentes (janeiro e fevereiro de 2020). Neste caso, o problema é o fato dos últimos pagamentos terem sido feitos através de um Sindicato ,que acionou a Justiça, e pode não funcionar durante a crise do Covid-19.

Em resposta, o Alvinegro afirmou que "está enviando todos os esforços para regularizar as pendências existentes com os funcionários".

Em dezembro de 2019, o clube conseguiu a liberação de mais de R$ 5,7 milhões, a pedido do Sindiclubes, para quitar o acordo que obriga o Botafogo a priorizar o pagamento dos funcionários. A decisão foi tomada na 15ª Vara do Trabalho do Estado do Rio de Janeiro, com o juiz Carlos Eduardo Diniz Maudonet.

Na ocasião, foram quitadas as folhas devidas de novembro, dezembro, férias e a segunda parcela do 13° salário de funcionários mais a folha de janeiro dos jogadores. O Alvinegro volta a campo no próximo domingo para enfrentar o Bangu, às 16h, no Nilton Santos, pela Taça Rio.

Como é nos outros clubes?
Flamengo: coloca a possibilidade de ter plano de saúde pago pelo clube a disposição para todos os funcionários contratados pela CLT.

Fluminense: assim como o Flamengo, todos os funcionários contratados pelo clube têm direito a plano de saúde.

Leia também: Arena Corinthians ficará sem público pela primeira vez em sua história

Vasco: não respondeu a reportagem até a publicação da matéria. EXTRA apurou que o clube auxilia os funcionários apenas com tratamento dentário.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

      Mostrar mais