Lance

Lance

torcida do Flamengo
Alexandre Vidal / Flamengo
Torcida do Flamengo entoou gritos homofóbicos contra o Fluminense


A Procuradoria do TJD-RJ denunciou o Flamengo por gritos homofóbicos da torcida no clássico do Fla-Flu, pela semifinal da Taça Guanabara. A denúncia foi protocolada pelo procurador Luís César, na última sexta-feira, e a Comissão Disciplinar ainda julgará o caso em primeira instância, na próxima segunda -feira (17).

Leia também: MP pede indenização maior para famílias de mortos no Ninho do Urubu

Flamengo foi enquadrado nos artigos nos artigos 243-G e 191. O primeiro diz que o clube "praticou ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito. O segundo por deixar de cumprir ou dificultar o cumprimento do regulamento legal da competição.

A denúncia partiu dos gritos de "time de v..." das arquibancadas durante a partida da última quarta-feira, que terminou com a vitória do Flamengo pelo placar de 3 a 2. Além da torcida, o canal oficial do time rubro-negro, a Fla TV, por meio do narrador Emerson Santos e Alexandre Tavares, fizeram comentários homofóbicos na transmissão. Os dois envolvidos e o clube se pronunciaram nas redes sociais pelo ocorrido.

Leia também: Flamenguistas xingam Rede Globo em entrada ao vivo de repórter: "Vai se f..."

Após o clássico, o presidente do Fluminense , Mário Bittencourt, usou as redes sociais para cobrar a Procuradoria do TJD -RJ. No texto, o mandatário chamou o procurador André Valentim, o mesmo que denunciou o Tricolor pelos gritos de "time assassino", de rubro-negro e disse que ele "fechou os ouvidos e não leu as notícias".

NOTA NA ÍNTEGRA:

"O TJD-RJ, em razão da insegurança jurídica que porventura possa ser causada, vem a público esclarecer que foi protocolada no final da tarde desta sexta-feira (14) denúncia em face do Clube de Regatas do Flamengo pelos supostos gritos homofóbicos entoados por sua torcida no último Fla-Flu, válido pela semifinal da Taça Guanabara.

Leia também: Pedro cobra R$ 2,2 milhões do Fluminense na Justiça

A Procuradoria de Justiça Desportiva é a signatária da peça acusatória, sendo ela absolutamente independente, na forma da lei, cabendo ao Procurador avaliar a conveniência da instauração do procedimento acusatório.

O TJD-RJ esclarece, por fim, que na próxima segunda-feira (17) será divulgada a Comissão Disciplinar sorteada para julgamento da denúncia, o que se pretende fazer com a eventual celeridade que pauta a Justiça Desportiva do Estado do Rio de Janeiro".

    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

      Mostrar mais