A partida entre Audax-SP e Sport, pela Copinha, na última quinta-feira, precisou ser paralisada duas vezes pelo árbitro Thiago Luis Scarascati, após o goleiro Túlio, do clube pernambucano, ser vítima de insultos homofóbicos. As informações são do O Dia . O juiz relatou que precisou chamar a polícia no segundo momento dos gritos. Porém, a tentativa de nada adiantou e os xingamentos continuaram.

Leia também: Diego Hypólito é criticado na web após posar com Bolsonaro: "Sem noção"

copinha
Reprodução
Gritos homofóbicos marcaram jogo da Copinha


Com a bola rolando, as equipes ficaram apenas no zero a zero. Com o placar, o Leão se classificou para a fase eliminatória da competição, em segundo lugar no Grupo 28. Já o Audax-SP, foi eliminado.

Leia também: Oito em cada 10 pessoas apoiam atitude contra homofobia nos estádios

Confira o relato na súmula:

"Aos cinco minutos do segundo tempo paralisei a partida devido a torcida do Grêmio Osasco Audax E. C. entoar gritos homofóbicos "O BICHA", quando o goleiro da equipe do Sport Club do Recife cobrava o tiro de meta, avisei então ambos os capitães bem como ambos os treinadores, o motivo da paralisação. O capitão da equipe do Grêmio Osasco pediu aos torcedores que não realizassem tal ato. Aos seis minutos e 30 segundos do segundo tempo ocorreu novamente a situação acima citada, paralisei novamente a partida e pedi ao policiamento a possibilidade de um suporte fora do campo para controlar a situação, nesse momento o sistema de som comunicou aos torcedores para que os atos fossem cessados, causando assim um efeito positivo aonde pudemos seguir o jogo até o seu fim", diz a súmula.


    Leia tudo sobre: Futebol

    Veja Também

      Mostrar mais