Tamanho do texto

Com brilho individual, atacante ajudou nas conquistas do Flamengo em 2019

Lance


Reinier arrow-options
Marcelo Cortes/Flamengo
Reinier está perto de ser negociado com a equipe merengue

Como pode um clube oferecer mais de R$ 100 milhões num jogador de apenas 17 anos? Como um menino que disputou apenas 15 jogos como profissional pode valer tanto? Bom, essas foram algumas das perguntas feitas por torcedores logo após surgir o interesse do Real Madrid na contratação do meia Reinier, do Flamengo. Uma negociação que gira em torno de R$ 130 milhões.

Leia também: "Férias são feitas para aproveitar", diz técnico do PSG sobre festas de Neymar

A grande questão é que Reinier é uma novidade no mercado nacional agora, mas já chama a atenção do exterior há muito tempo. Camisa 10 da Seleção Brasileira desde o sub-15, o menino é monitorado - ele e outros, é claro - de perto pelos grandes clubes europeus desde então. O sucesso no primeiro ano de profissional apenas aumentou o desejo de fora, principalmente do Real. E ao contrário do que muitos pensam, a pouca idade não é um empecilho. Pelo contrário, é uma vantagem.

E quando digo sucesso, não me refiro apenas às conquistas coletivas do Rubro-Negro em 2019. Individualmente, Reinier também brilhou. Aos 17 anos, o meia teve o segundo melhor aproveitamento do Campeonato Brasileiro na relação gol/finalização entre os jogadores que marcaram aos menos cinco vezes. Para estufar as redes. Foram seis tentos em apenas 16 conclusões, ou seja, um a cada 2,66 tentativas - Luiz Adriano, do Palmeiras, com 2,17, liderou o ranking. O desempenho foi superior, por exemplo, ao de Gabigol, Artilheiro da competição com 25 gols, mas precisando de 4,16 oportunidades para marcar.

Reinier terminou em segundo também na lista dos atletas que necessitaram de menos tempo em campo para estufar as redes - mínimo de 5 gols também. Dessa vez, Gabriel levou a melhor, marcando um a cada 102 minutos, enquanto que o jovem precisou de 118 para anotar cada gol.

Outra estatística que o garoto apareceu muito bem posicionado foi a de gols saindo do banco de reservas. Das 14 partidas que disputou no Brasileirão, foi titular em apenas oito. Nas seis em que saiu do banco, no entanto, marcou três vezes. Uma marca que só foi superada por Pepê, do Grêmio, que fez quatro. O gremista de 22 anos, porém, entrou no decorrer de 18 jogos, o triplo de Reinier.

Leia também: Vai ou fica? Após sondagens, futuro de Deyverson segue incerto no Palmeiras

FINALIZAÇÕES PARA MARCAR UM GOL ( Dados do Footstats/mínimo de 5 gols marcados)

1º - Luiz Adriano - Palmeiras - 2,17 finalizações para marcar um gol
2º - Reinier - Flamengo - 2,66 finalizações para marcar um gol
3º - Arrascaeta - Flamengo - 3,69 finalizações para marcar um gol
4º - Boselli - Corinthians - 4 finalizações para marcar um gol
5º - Gabigol - Flamengo - 4,16 finalizações para marcar um gol

TEMPO EM CAMPO PARA MARCAR UM GOL ( Dados do OGol/mínimo de 5 gols)

1º - Gabigol - Flamengo - 102 minutos para marcar um gol
2º - Reinier - Flamengo - 118 minutos para marcar um gol
3º - Bruno Henrique - Flamengo - 122 minutos para marcar um gol
4º - Pedro - Fluminense - 125 minutos para marcar um gol
5º - Arrascaeta - Flamengo - 141 minutos para marcar um gol

MAIS GOLS COMO RESERVA ( Dados do OGol)

1º - Pepê - Grêmio - 4 gols em 18 jogos saindo do banco
2º - Reinier - Flamengo - 3 gols em 6 jogos saindo do banco
Marcelo Cirino - Athletico-PR - 3 gols em 11 jogos saindo do banco
Arthur Gomes - Chapecoense - 3 gols em 12 jogos saindo do banco
​Mateus Gonçalves - Ceará - 3 gols em 16 jogos saindo do banco
Gustagol - Corinthians - 3 gols em 16 jogos saindo do banco
Arthur Caíque - Bahia - 3 gols em 20 jogos saindo do banco