Tamanho do texto

Situação do treinador ficou insustentável após discussão com atletas no vestiário do Castelão, onde o time empatou com o Ceará

Rogério Ceni será demitido do Cruzeiro arrow-options
Artur Moraes / O Tempo
Rogério Ceni será demitido do Cruzeiro

O técnico Rogério Ceni foi demitido  do comando do Cruzeiro  nesta quinta-feira. Segundo informações preliminares do jornal O Tempo , de Minas Gerais, a decisão da diretoria celeste já estava tomada desde a manhã e foi oficializada após conversa com o próprio treinador, no fim da tarde.

Leia também: Rogério Ceni é recebido com festa pela torcida do Cruzeiro, mas acaba demitido

O nome para substituir Rogério Ceni também já está sendo estudado e o preferido dos dirigentes é Dorival Júnior.

Vale destacar que o ex-treinador da Raposa tinha uma multa contratual em caso de rescisão e que, de acordo com a reportagem, isso não seria empecilho para demissão, já que o valor não é considerado alto.

Ainda de acordo com a publicação, pessoas ligadas ao clube mineiro apontaram que Ceni não teria capacidade de gestão de vestiário, inflamando ainda mais os ânimos do elenco.

Após o empate de quarta-feira diante do Ceará, por 0 a 0, Rogério Ceni  discutiu com alguns jogadores no vestiário do estádio Castelão, tornando sua situação insustentável dentro do clube.

O clube de Belo Horizonte ocupa agora a 16ª posição, a primeira fora da zona de rebaixamento, com 19 pontos, mesmo número que o CSA, que ocupa a 17ª. No entanto, os times que estão atrás na tabela jogam nesta quinta-feira (26) e podem colocar o Cruzeiro de volta na degola.

Ceni estava no comando do clube há pouco mais de um mês. Antes de empatar com o Ceará, foram quatro derrotas: Flamengo, Palmeiras, Grêmio e Internacional. A última vitória foi contra o Vasco, na 17ª rodada do Brasileirão.

Leia também: Thiago Neves critica Rogério Ceni após eliminação na Copa do Brasil

Vale lembrar que Thiago Neves criticou  Rogério Ceni  após eliminação do time da Copa do Brasil diante do Internacional, dizendo que o treinador fez mudanças de última hora. "Foi na preleção (que ficamos sabendo). Na nossa reunião, sei lá, duas, três horas antes do jogo e, na minha opinião, achei muito em cima da hora. Você mudar três, quatro jogadores numa linha que já vinha formada há dois anos... Nada contra", disse.