Tamanho do texto

Filha de Edison Brittes, assassino confesso de Daniel, disse que o jogador entrou no quarto da mãe sem ser convidado

Allana Brittes e a mãe Cris Brittes arrow-options
Reprodução
Allana Brittes e a mãe Cris Brittes

Após ser  liberada da prisão na semana passada depois de ficar nove meses encarcerada na penitenciária Estadual de Piraquara, Allana Brittes se pronunciou publicamente pela primeira vez sobre o Caso Daniel

Clique aqui e confira as principais notícias sobre o Caso Daniel

Acusada de coagir o curso do processo, fraude processual e corrupção de menor no assassinato de Daniel,  Allana Brittes , de 18 anos, concedeu uma entrevista ao programa Conexão Repórter, do SBT , e confirmou que seu pai é o autor do crime e se eximiu de qualquer participação no cruel ato.

A família Brittes%3A Cristiana%2C Edison e Allana arrow-options
Instagram
A família Brittes: Cristiana, Edison e Allana

Entretanto, ela afirmou que o ex-jogador foi 'quem procurou tudo isso'. "Quem matou Daniel? Meu pai (Edison Brittes), mas quem procurou tudo isso foi o próprio Daniel. Naquele momento, eu precisava proteger o meu pai. Enquanto ele não se entregasse, eu precisava protegê-lo. Eu não tive participação nenhuma", afirmou Allana.

Ela também contou que o ex-jogador entrou no quarto de sua mãe sem ser convidado. Segundo a moça, quando entrou na cena do crime, afirmou ter visto seu pai esganando Daniel, que gritava que ele tinha tentado estuprar sua esposa.

"Ele (Daniel) entrou no quarto da minha mãe sem ser convidado. Quando eu entrei no quarto, eu vi o meu pai segurando o Daniel pelo pescoço em cima da cama dos meus pais, e o meu me disse: 'Ele estava na minha cama, filha, tentando estuprar a sua mãe'", afirmou Allana.

Allana Brittes foi solta na última semana após conseguir um habeas corpus concedido pelo STJ. Seu pai, Edison Brittes Junior, confessou o crime em depoimento à polícia. Sua mãe, Cristiana Brittes, é acusada por homicídio, coação de testemunha e fraude processual.

    Leia tudo sobre: Futebol