Tamanho do texto

Cosme Araújo aponta que a gravação do circuito interno do hotel poderia comprovar que Neymar estava alterado ou agressivo

Lance

Najila Trindade%2C a modelo que acusa Neymar de estupro em Paris arrow-options
Reprodução / Renato S Cerqueira/ Futura
Najila Trindade, a modelo que acusa Neymar de estupro em Paris

O advogado de Najila Trindade , Cosme Araújo Santos, criticou o fato de  Neymar não ter sido indiciado no suposto caso do estupro do jogador contra a sua cliente. A defesa da modelo questiona a delegada Juliana Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo, por ter concluído o inquérito sem anexar algumas provas, como um vídeo de Neymar chegando ao hotel em Paris.

Leia também: Inquérito é concluído e Neymar não será indiciado por estupro

Cosme Araújo aponta que a gravação do circuito interno do hotel poderia comprovar que Neymar estava alterado ou agressivo, caso as imagens comprovassem que ele não estava sóbrio ou se discutiu com alguém no recinto. O que corroboraria com o depoimento de Najila .

Neymar na delegacia arrow-options
Aloisio Mauricio/Fotoarena/Agência O Globo
Neymar não vai responder por estupro

"Se realmente é verdade, a defesa de Najila encara como um absurdo o que está vendo porque, de maneira inusitada tendo a delegada pedido prorrogação para concluir o inquérito policial, resolve (encerrar a investigação), sem as diligências citadas, a exemplo da ausência do vídeo que, segundo informações, estaria por vir de Paris", disse o advogado ao UOL.

O representante de Najila também se incomodou pelo fato da investigação ter ocorrida em sigilo. Além disso, não teve acesso ao relatório da delegada e criticou o fato da delegada ter marcado uma entrevista coletiva, nesta terça-feira, pois acredita que suas declarações podem comprometer o caso e colocar a opinião pública contra a modelo.

"A defesa repudia uma entrevista de uma autoridade de um caso que já está sob judice, ou seja, já houve manifestação do juiz e poderá ter uma instrução criminal. A posição desta entrevista poderá ser influência negativa para vítima. Mais que isto, jogar a opinião pública mais uma vez contra a alegada vítima", disse.

"Mesmo sem indiciamento do acusado, não pode a delegada dar entrevista em coletiva para toda a imprensa sob um inquérito policial sigiloso onde poderá ter novos desfechos e o Ministério Público pode pedir diligências", apontou Cosme.

Por fim, o advogado pontuou que o vídeo (que teria se perdido no decorrer do caso) foi visto por Estivens Alves, ex-marido de Najila, e acrescentou que a gravação, apesar de não revelar muita coisa, foi usado contra Najila, com o intuito de jogar a opinião pública contra a modelo.

"Aquilo ali foi o que fez a opinião pública passar a considerar Najila uma pessoa mentirosa. Foi por conta de algo que não somaria à investigação", ressaltou, além de dizer que Najila acreditou que o jogador seria indiciado.

" Najila acreditava (no indiciamento) e dizia que tinha certeza baseado no que ela passou", finalizou Cosme Araújo Santos.