Tamanho do texto

Os dirigentes colorados relataram o ocorrido à diretoria do Palmeiras. que prometeu fazer uma reclamação contra a empresa do camarote

Lance


Inter e Palmeiras arrow-options
Reprodução / Internacional
Inter e Palmeiras se enfrentaram no Allianz Parque pela Copa do Brasil

O presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, e o vice Roberto Melo disseram ter recebido ameaças de morte no Allianz Parque. A denúncia foi feita depois da derrota para o Palmeiras por 1 a 0, pela Copa do Brasil, e de acordo com o relato dos dirigentes o problema aconteceu com torcedores que estavam no camarote ao lado do que ficou a comitiva colorada.

Leia também: Borja recusa ofertas e situação pode custar R$ 11 milhões ao Palmeiras

"Lamentável o tratamento que recebemos no camarote do Palmeiras. É um camarote ao lado, não é de uma torcida comum. Fomos hostilizados, ameaçados de morte. Isso nunca ocorreu. Presidente de clube ameaçado por um senhor", contou Roberto Melo, vice do Inter .

"O camarote ao lado não é de torcida comum, é alugado, fomos ameaçados de morte. Queria fazer este registro, é lamentável vir para um estádio de futebol, de Série A, e passar por isso. Nunca tinha acontecido o que aconteceu hoje", acrescentou.

Segundo Roberto Melo, as ameaças teriam vindo do camarote de uma empresa de segurança. A reportagem do iG Esporte conversou com pessoas presentes no local durante a confusão que afirmam que as ameaças vieram por parte de um senhor que estava no espaço reservado por uma empresa de estágios.

Ainda de acordo com os presentes, um dos seguranças do Internacional chegou a invadir o camarote ao lado durante a discussão.

Leia também: Palmeirenses depredam banheiro da Arena Corinthians em jogo da Copa América

Antes de deixar o Allianz Parque , os dirigentes colorados relataram o ocorrido à diretoria do Palmeiras . De acordo com Roberto Melo, os mandantes prometeram fazer uma reclamação contra a empresa do camarote de onde partiram as ameaças.

"Desde o começo do jogo a provocação. Teve gente que saiu do camarote. Mandaram ficarmos quietos. Teve ameaças , que poderiam nos matar, com sinal de arma. Em um estádio desses, um camarote alugado", encerrou.

Leia também: Rivais se unem para pressionar Dória por liberação da cerveja nos estádios

Os dirigentes do Inter não disseram ainda se vão registrar um Boletim de Ocorrência, nem se levarão o caso à CBF. As equipes voltam a se enfrentar na quarta-feira que vem, no Beira-Rio. O Palmeiras joga pelo empate para avançar à semifinal da Copa do Brasil.