Tamanho do texto

Delegado registrou Boletim de Ocorrência contra a modelo que acusa Neymar de estupro na cidade de Paris

Najila Trindade%2C a modelo que acusa Neymar de estupro em Paris
Reprodução / Renato S Cerqueira/ Futura
Najila Trindade, a modelo que acusa Neymar de estupro em Paris

A modelo Najila Trindade, que acusa o atacante Neymar de agressão e estupro na cidade de Paris, no último mês de maio, deu uma declaração polêmica ao repórter Roberto Cabrini, em entrevista concedida ao SBT.

Najila questionou o trabalho das autoridades na investigação do caso. Segundo ela, a polícia estaria comprada. " A polícia está comprada, né ? Ou não? Ou eu estou louca?", disse.

Por conta dessa insinuação, o delegado José Fernando Bessa, titular da Equipe de Intervenção Estratégica da 6ª Delegacia Seccional, responsável pela investigação, fez um Boletim de Ocorrência contra a moça. 

Segundo a polícia, ela pode ter atingido a honra da instituição e de seus policiais. Seria um crime de difamação.

Leia mais sobre o caso:

"Analisando o teor das declarações (...) verifico ter sido maculada não só a honra da Polícia Civil do estado de São Paulo como instituição (...), mas, sobretudo, a honra objetiva dos servidores responsáveis pela coleta do material papidatiloscópico", escreveu Fernando Bessa.

Apesar de todo alarde em cima disso, a investigação de difamação contra Najila Trindade será arquivada, já que os profissionais atingidos pela declaração da modelo decidiram não dar andamento ao caso.

A delegada Monique Lima disse que os B.O.s de casos de difamação precisam que as pessoas alvo da suposta ofensa confirmem que se sentiram ofendidas e solicitem que a Polícia Civil abra um inquérito.

Neste caso, apenas o delegado José Fernando Bessa se manifestou, e não a corporação como um todo. Os atingidos seriam as autoridades do Instituto de Identificação, que examinaram impressões digitais no apartamento da modelo no suposto arrombamento.

Os peritos entenderam que o Boletim de Ocorrência resultou em manifestações de apoio. O Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo e a Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo divulgaram uma nota defendendo os profissionais do Instituto de Identificação, condando a alegação de Najila.

Leia também: Assessor diz que publicou vídeo íntimo após pedido de Neymar

Além disso, as autoridades que trabalham como órgão auxiliar da Polícia Civil avisaram que prosseguir com a denúncia contra Najila Trindade não faz parte do perfil da instituição, que é ajudar a solucionar crimes.

Por fim, os peritos avaliaram que não é adequado adotar uma postura combativa contra pessoas que se declaram vítimas de crimes - como neste caso, já que Najila acusa Neymar de estupro.

    Leia tudo sobre: futebol